Bolsa

Wall Street sem rumo entre inscrições no desemprego em baixa e impasse político

Corretores da bolsa de Wall Street em Nova Iorque. Fotografia: Reuters
Corretores da bolsa de Wall Street em Nova Iorque. Fotografia: Reuters

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje sem rumo, com os investidores divididos entre uma descida dos pedidos de subsídio de desemprego e o impasse no Congresso sobre um novo plano de relançamento económico.

Leia também: Wall Street arranca sem um rumo definido após dados do desemprego

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average recuou 0,29%, para os 27.896,72 pontos, e o alargado S&P500 perdeu 0,20%, para as 3.373,43 unidades, adiando assim a superação do seu recorde de fevereiro.

Pelo contrário, o tecnológico Nasdaq progrediu 0,27%, para os 11.042,50 pontos.

As novas inscrições semanais no desemprego recuaram na semana passada nos EUA, ficando abaixo de um milhão de pessoas pela primeira vez desde março, segundo os números divulgados hoje pelo Departamento do Trabalho.

Entre 02 e 08 de agosto, inscreveram-se nos serviços de desemprego nos EUA cerca de 963 mil pessoas, abaixo dos 1,19 milhões da semana passada e dos 1,15 milhões esperados agora pelos analistas.

Estes números parecem confirmar a tendência de descida desde abril, apesar da subida registada no final desse mês, com o aumento das infeções com o novo coronavírus nos EUA.

Contudo, o nível de desemprego continua bem mais elevado do que antes da pandemia.

A informação ajustada, em relação a 01 de agosto, indica uma taxa de desemprego de 10,6% e um total de pessoas desempregadas de 15,5 milhões.

Por outro lado, os atores de mercado permaneceram atentos ao desenrolar das negociações no Congresso sobre novas medidas de relançamento da economia, através de ajudas e estímulos a famílias, empresas e coletividades, mas a situação parece estar num impasse.

Para Chris Low, da FHN Financial, democratas e republicanos “estão separados por quilómetros de distância, o que é verdadeiramente desencorajador”, considerando que “deixou de haver sentido de urgência”.

As medidas que, entretanto, foram objeto de ordens executivas da Casa Branca, divulgadas no sábado — congelamento de impostos sobre salários, ajuda suplementar aos desempregados, proteções contra despejos de inquilinos e adiamento do reembolso dos empréstimos dos estudantes -, podem ser contestadas na justiça.

Com efeito, a Constituição dos EUA reserva ao Congresso a maior parte das decisões com impacto orçamental.

Outro motivo de interesse dos investidores foi a situação relativa às potenciais vacinas contra o novo coronavírus, suscetível de provocar vivos movimentos em Wall Street.

“No fim de contas, o nível atual do mercado não é lógico de todo, a menos que a economia esteja em boa forma dentro de um ano”, o que implica uma vacina eficaz, salientou Low.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa, intervém durante a cerimónia de assinatura de declaração de compromisso de parceria para Reforço Excecional dos Serviços Sociais e de Saúde e lançamento do programa PARES 3.0, no Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, em Lisboa, 19 de agosto de 2020. ANDRÉ KOSTERS/LUSA

“Na próxima semana podemos chegar aos 1000 casos por dia”, avisa Costa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. FILIPE FARINHA/LUSA

Marcelo promulga descida do IVA da luz consoante consumos

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Apoio a rendas rejeitado devido a “falha” eletrónica

Wall Street sem rumo entre inscrições no desemprego em baixa e impasse político