Formar é valorizar

A formação é um ponto fulcral para desenvolver trabalhadores e rentabilizar empresas. Portugal passa ao lado da tendência - e a Randstad explica os erros que isso pode trazer.

Desde 2019 as empresas portuguesas passaram a ser obrigadas a atribuir 40 horas de formação anual a cada um dos seus trabalhadores. Ainda assim, segundo um estudo do Expresso, mesmo com a obrigação legal e multas por parte da Autoridade para as Condições de trabalho - apenas 16% das empresas o fazem. Mas, mais do que nunca, a formação deve ser vista como um investimento e não como um custo.

As empresas que mais oferecem formação aos trabalhadores são aquelas mais preparadas para sobreviver às condicionantes dos mercados. Num exemplo recente, o homeworking (ou trabalho híbrido) era uma das tendências crescentes na última década, nomeadamente no mundo das startups tecnológicas. Já pensou nos problemas que teria poupado caso os trabalhadores estivessem já treinados para essa realidade, mesmo antes de termos sido (quase) todos obrigados a ela? E é também para isto que a formação serve - o upskilling de profissionais que já se encontram nas empresas, seja para exercer funções mais abrangentes ou para prevenir outros cenários. De resto, foi isso também que o Randstad Employer Brand Research 2021, um estudo que perceciona a atratividade das empresas em Portugal, descobriu. De acordo com este estudo, a formação é um dos fatores mais valorizados por profissionais com educação superior nas suas empresas.

A retenção de talento é outro dos fatores importantes da formação, com a qualidade da formação a ser o 7º critério mais atrativo na procura de um empregador, de novo de acordo com o estudo da Randstad. Processos de recrutamento custam tempo e dinheiro e, ainda mais, implicam um investimento em adequar o novo trabalhador à empresa - aos seus valores, ao seu método de trabalho e à sua equipa. Com formação, poderá treinar trabalhadores atuais, já identificados com a empresa, a cumprir funções superiores - ou, em alternativa, tendo mais skills para as suas funções atuais e valorizando o seu conhecimento. Uma equipa formada é uma equipa confiante, capaz de encontrar mais soluções e trazer mais retorno. E que, também, valoriza o esforço que o seu empregador faz. É um fator crítico de sucesso.

Produtividade e qualificação são termos que, no universo empresarial, vêm de mãos dadas. Empresas mais rentáveis não passam apenas por vender mais - mas por saber fazer melhor. E aí os trabalhadores têm a primeira e última palavra.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de