O saldo negativo que as empresas não contabilizam: o aborrecimento

O processo de procura de trabalho tem vindo a sofrer várias mudanças, fazendo com que se procure características especificas nas empresas. Será que as mesmas estão preparadas para oferecer o melhor aos seus funcionários?

Grande parte do nosso dia e até da nossa vida é passado a trabalhar. O nosso local de trabalho deve ser um local envolvente, onde nos sentimos bem e em constante aprendizagem para, a longo prazo, atingir melhores resultados, uma vez que um trabalho interessante é meio caminho para nos sentirmos mais motivados.

Se há empresa focada em construir uma comunidade de talentos é a Randstad, que tem como principal missão moldar o mundo do trabalho através da aproximação da oferta e da procura. O mundo do trabalho não é um mar de rosas e muitas vezes a motivação que temos para trabalhar pode desvanecer por vários motivos.

Como tal, e de acordo com a Randstad, é importante otimizar o trabalho em três alicerces: estabelecer uma comunidade de talentos, melhorar a sua marca e cultivar relacionamentos de longo prazo.

Ter um trabalho interessante é um dos critérios que os funcionários têm em conta quando estão à procura de um emprego ou até para se manterem no emprego atual. A Randstad revelou que o conteúdo interessante do trabalho está em 7º lugar nos critérios mais importantes para os trabalhadores em Portugal. No entanto, existem coisas a que as organizações devem estar sempre atentas.

As empresas têm uma alta taxa de rotatividade de funcionários. Como tal, devem perceber o motivo de isso acontecer, uma vez que, para além de perderem profissionais talentosos, também vão enfrentar a contratação de novos funcionários e a possibilidade de os antigos irem trabalhar para os seus concorrentes.

Posto isto, para a Randstad é muito simples: a estratégia das empresas deve passar por manter as suas equipas felizes e comprometidas com o lema da organização. Para isso, é preciso que sejam cumpridas algumas etapas.

O salário que os funcionários recebem é um dos principais motivadores. No entanto, para os funcionários é necessário muito mais do que isso. Fatores como a progressão de carreira e as relações no local de trabalho são outros dois fatores que ditam a permanência de um funcionário na empresa em questão.

Uma das descobertas da Randstad foi que 60% dos entrevistados tinham deixado o seu emprego devido à má relação que tinham com os seus gestores. Desta forma, a empresa pretende reforçar a importância de os gestores estarem consciencializados para terem relacionamentos positivos com os seus funcionários.

Também o feedback e a flexibilidade são outros dos alicerces das empresas, para que a equipa se torne mais eficiente. A flexibilidade é uma competência com benefícios para trabalhadores de todas as idades. Segundo o estudo "Employer Branding" da Randstad em 2018, a flexibilidade está no top 10 dos motivos que levam os candidatos a escolher uma determinada organização.

Com todas estas competências postas em prática, as empresas vão estar mais preparadas para motivar os seus funcionários, bem como, atrair novos funcionários para uma função atrativa, encontrando o lugar que sempre procuraram nas empresas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de