Santos e Vale investe para continuar a crescer

Empresa de transporte, distribuição e logística quer reforçar infraestruturas, frota e número de trabalhadores no próximo ano.

A caminho dos 40 anos de atividade, a Santos e Vale foi acrescentando áreas de negócio, procurando sempre estar na vanguarda, mas tendo como foco principal a proximidade ao cliente. Tudo começou na área do transporte, passando depois a contar também com a distribuição e mais tarde a logística integrada. É uma empresa que prevê continuar a crescer, aumentando as suas infraestruturas, frota e podendo assim reforçar os postos de trabalho.

Atualmente são mais de 700 colaboradores, alguns especializados em certas áreas, já que a empresa aborda diferentes serviços como o agroalimentar, matérias perigosas e higiene e limpeza, por exemplo. “Neste momento temos 17 plataformas de distribuição e cinco de logística integrada na Península Ibérica, mas principalmente em Portugal”, explicou António Azevedo Ataíde, diretor de comunicação e marketing da Santos e Vale. Só em Portugal são feitas mais de seis mil entregas diariamente.

Quando tudo começou em 1982, a aposta foi no transporte, mas a distribuição tornou-se o core business da empresa, tendo entrado no modelo de negócio da Santos e Vale em 1990. A aposta na logística integrada arrancou em 2002 e tem sido essencial para o recente crescimento: “No ano passado tivemos 30 milhões de euros de faturação, em 2017, 26 milhões, e até ao final deste ano está prevista uma faturação de 36 milhões, o que é muito animador.”

A Santos e Vale quer continuar a crescer e reinveste “quase todo o resultado líquido”. “Todos os anos a empresa investe capital, muito em frota, imagem, informática. São áreas que sabemos que são fundamentais para o negócio. Neste ano houve um investimento de três milhões só em frota”, explicou. “No próximo ano nós contamos crescer em infraestruturas, em frota e em pessoas e isso leva a novos clientes. Novos clientes, mais faturação. É tudo um ciclo económico”, acrescentou.

Perante a concorrência, há que ter fatores diferenciadores e António Azevedo Ataíde não hesita em destacar o da Santos e Vale: a proximidade. “Nós tentamos, desde o primeiro contacto até ao desenho de uma operação logística integrada, estar próximo do cliente. Nós temos gestores de clientes dedicados a cada conta. Há um ponto de contacto único para não haver informação dispersa. O cliente sente que sempre que quer falar com a Santos e Vale, consegue”, afirmou.

Apesar das perspetivas positivas, há que estar atento às possíveis dificuldades tanto no contexto económico nacional como no internacional. Por isso, a empresa tem “algum cuidado na análise do futuro”, tentando dentro do possível estar preparada para o que possa acontecer.

Presente nos mercados abastecedores das regiões de Évora e Braga, geridos pela Sociedade Instaladora de Mercados Abastecedores (SIMAB), António Azevedo Ataíde considera que a ligação à SIMAB “é quase uma obrigatoriedade” tendo em conta as áreas de negócio da Santos e Vale. “Garante-nos também alguns dos fatores mais importantes que qualquer empresa que queira oferecer ao cliente um serviço de excelência tem de ter: acessibilidades, proximidade e segurança. E, portanto, para nós estarmos nos polos em que estamos faz todo o sentido termos tido bons resultados. Acredito que seja uma aposta para continuar.”

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de