CES 2018

Robôs, carros e realidade aumentada. O futuro em Las Vegas

CES0

De mensagens holográficas ao estilo Star Wars a ecrãs flexíveis, o CES 2018 levanta o véu sobre as tendências tecnológicas que vão explodir este ano

Quatro mil empresas expositoras vão mostrar o futuro no mais importante evento tecnológico do ano, que arranca amanhã em Las Vegas. O histórico CES, anteriormente conhecido como Consumer Electronics Show, será usado para a apresentação de milhares de novos produtos a quase 200 mil pessoas, numa edição que deverá bater recordes de participação. Entre as empresas vindas de todo o mundo estarão várias startups portuguesas.

Embora o CES 2018 só comece oficialmente na terça-feira, as apresentações à imprensa serão feitas a partir de amanhã. Todas as grandes marcas estarão presentes (salvo a Apple, que nunca participa), sendo que a conferência mais antecipada é a da Samsung.

As apresentações de topo estarão a cargo da Huawei, Intel e Ford, com keynotes que todos os anos esgotam o grande auditório do hotel Venetian e são animadas por demonstrações futuristas. Durante os quatro dias de evento, 800 oradores irão falar em 200 sessões. “A excitação e proposta de valor do CES estende-se para lá do espaço de exposição e keynotes”, explica Karen Chupka, vice presidente sénior da CTA (Consumer Technology Association), que organiza a feira, e diretora de estratégia de negócio do CES. “As sessões da conferência incluem um leque diversificado de líderes provocadores que representam todos os aspetos da tecnologia de consumo. Estes são os influenciadores e inovadores que estão a dinamizar o mundo altamente conectado e centrado na tecnologia que teremos no futuro.”

Hologramas e robótica
A feira levanta o véu sobre as maiores tendências do ano e revela onde os investidores estão a pôr dinheiro. As novidades mais fortes deverão vir da área da robótica, inteligência artificial, carros inteligentes e Internet das Coisas (IoT), com especial destaque também para a realidade aumentada. É neste segmento que muitos estão a apostar: de acordo com a CTA, este ano haverá 24 empresas de realidade aumentada, uma subida de 20% face a 2017.

Por exemplo, a Carrobot vai apresentar uma tecnologia que leva a realidade aumentada para dentro do carro – o Waterdrop. O produto transforma o para-brisa num cenário de informação para o condutor, sobrepondo dados úteis ao que ele está a ver na estrada. Já a AiFi vai demonstrar duas aplicações: a Wonderlens, que permite “teleportar” a pessoa para qualquer lugar, e a Holo Messenger, que cria mensagens holográficas personalizadas ao estilo Star Wars. A Grush desenhou uma escova de dentes que se liga a um jogo de telemóvel com realidade aumentada, para encorajar as crianças a lavarem os dentes.

No espaço da robótica, que aumentou 30% para 35 expositores, a Cerevo terá algumas propostas inusitadas. É o caso do Tachikoma, um robô inspirado em “Ghost in the Shell”, e do Lumigent, um candeeiro inteligente que se move sozinho, inclui uma câmara e Wi-fi. A RF Co. irá introduzir um robô de limpeza de janelas, Windowmate, e a Sanbot apresentará o Max, um robô humanoide desenhado para receções de hotéis e restaurantes.

Há ainda outros produtos interessantes, como os auscultadores sem fios Lizn que ajudam as pessoas a ouvirem melhor conversas em ambientes ruidosos. A Royole vai mostrar as suas tecnologias de eletrónica flexível, ecrãs e sensores, num segmento em destaque em 2018 – são várias as fabricantes que estão a trabalhar em smartphones e tablets flexíveis, da Samsung à Microsoft e LG.
Por parte das grandes empresas, a Samsung vai mostrar uma série de novos wearables, incluindo o Gear IconX, uns óculos de realidade mista em parceria com a Microsoft (Odyssey), o smartphone Galaxy A8 e vários eletrodomésticos inteligentes, de fogões a frigoríficos e televisores. As TV são sempre muito fortes neste evento, esperando-se novidades ao nível de modelos ultra-finos OLED e 8K.

A CTA criou um espaço só para inteligência artificial, com 15 empresas – incluindo IBM e Baidu, sendo este um tema transversal a toda a feira. A integração de assistentes inteligentes em todo o tipo de produtos, liderada pela Alexa da Amazon, será um dos efeitos da massificação de tecnologias de inteligência artificial.
Outra área muito popular é a de wearables e dispositivos IoT dedicados à saúde e bem-estar, incluindo um boom de produtos para bebés e crianças. Aliás, será introduzida uma zona chamada “Internet das Coisas de Família.” Este ano também regista um aumento de 15% no número de fabricantes de drones (47).
Tópicos quentes em discussão serão o advento da próxima geração móvel 5G, cidades inteligentes e o fim da neutralidade da net, decidida pelo regulador norte-americano FCC.

Inovações portuguesas
A presença portuguesa em Las Vegas costuma ser forte, com várias empresas a comprarem um stand na exposição, mas este ano tal não irá acontecer. A Aptoide, detentora de uma das maiores lojas de aplicações Android do mercado móvel, deverá falhar a feira pela primeira vez desde a sua fundação. Outras empresas que estiveram no passado, como a fabricante de impressoras 3D Beeverycreative, também estarão ausentes.

Quem regressa é a Findster, uma startup de Braga que criou um produto para localização de animais de estimação com um protocolo de comunicação proprietário. No ano passado, foi a Las Vegas pela mão da aceleradora de hardware Hax. Desta vez, vai integrada na comitiva da Startup Portugal, que estará no espaço Eureka Park com uma mão cheia de startups nacionais. Além da Findster, estão confirmadas a Infinite Foundry, Invoice Capture, SubVisual e Follow Inspiration.

O Eureka Park é uma das áreas que mais cresceu na feira: terá 800 startups vindas de 37 países, mais 200 que na edição anterior. Alguns países apostam forte no espaço, como a França; Emmanuel Macron foi um dos visitantes no ano passado. Este ano, está confirmado o príncipe da Holanda, Constantijn van Oranje.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Antonoaldo Neves é o presidente executivo da TAP

TAP precisa de resultados “sete vezes superiores”

Fotografia: REUTERS/Philippe Wojazer/File Photo

Comissão Europeia multa Altice em 125 milhões pela compra antecipada da PT

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Mário Centeno diz que “não há folga orçamental”

Outros conteúdos GMG
Robôs, carros e realidade aumentada. O futuro em Las Vegas