media

2,5 milhões para dar a conhecer as Aldeias 7 Maravilhas de Portugal

Piódão

As 7 Maravilhas de Portugal regressam em 2017. Agora com foco nas aldeias históricas.

“É da nossa aldeia que vimos a serra, o mar e o universo. E como disse Pessoa “Sou do tamanho do que vejo e não da minha altura”, recorda Carlos Coelho, co-fundador da Ivity, agência de Branding que criou a identidade da nova edição da 7 Maravilhas de Portugal, que em 2017 é dedicada às Aldeias.

O arranque oficial da nova edição deste evento, o último foi em 2012 com a eleição das praias 7 Maravilhas, foi em Piódão, aldeia histórica do concelhos de Arganil e uma das 10 já inscritas no evento pela câmara municipal.

As inscrições fecham a 7 de março e neste momento já são mais de 100 o número de candidaturas, adiantou Luís Segadães, presidente da organização das 7 Maravilhas, ao Dinheiro Vivo, à margem do evento.

As aldeias podem candidatar-se em 7 categorias – Aldeias-Monumento; Aldeias de Mar; Aldeias Ribeirinhas; Aldeias Rurais; Aldeias Remotas; Aldeias Autênticas; e Aldeias em Áreas Protegidas – com as 49 aldeias pré-finalistas a serem reveladas a 7 de abril e as votações a arrancarem a 1 de Julho.

As galas serão transmitidas pela RTP, parceiro de média das anteriores edições das 7 Maravilhas, aos domingos em prime-time. A primeira Gala tem lugar a 9 de julho, em região ainda a definir, e as restantes realizam-se sempre ao domingo à noite, até 20 de agosto, onde serão conhecidos os 14 finalistas. A gala final decorre a 3 de setembro. José Carlos Malato e Catarina Furtado voltam a apresentar as galas que se irão realizar em cada uma das 7 Regiões (NUTT’s II) do país, Galas temáticas dedicadas a cada uma das 7 categorias e à própria região que a acolhe.

Com um orçamento global de 2,5 milhões de euros, Luís Segadães destaca o impacto positivo das 7 Maravilhas no turismo: as visitas ao Mosteiro de Alcobaça, depois da sua nomeação, aumentaram 40%, gerando os eventos uma média de 100 milhões de retorno em termos de média não paga.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Brasil é a 1ª economia da América do Sul

Portugal é a nova Miami para os brasileiros ricos

Fernando Rocha Andrade
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Cobrança coerciva deverá render neste ano 1104 milhões ao fisco

Fotografia: ANDREW GOMBERT/EPA

Os mercados estão eufóricos. Saiba porquê

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
2,5 milhões para dar a conhecer as Aldeias 7 Maravilhas de Portugal