A primeira portuguesa a entrar no top 100 da Amazon está de volta com o segundo romance

Filipa Fonseca Silva
primeira portuguesa a entrar no top 100 da Amazon, Filipa Fonseca Silva."> Filipa Fonseca Silva

Momentos trágicos e cómicos, uma mãe controladora, uma tia hippie, um casamento entediante, um chefe insuportável e uma amiga que não sabe quando se calar. Uma viagem de autodescoberta, onde se reflete sobre o sentido da vida e o poder que temos de colocar tudo em questão. Estes são os ingredientes de "O Estranho Ano de Vanessa M.", o novo romance da primeira portuguesa a entrar no top 100 da Amazon, Filipa Fonseca Silva.

O segundo livro da autora portuguesa será lançado e apresentado por André Henriques da RFM no dia 15 de julho, na Bertrand do Chiado, às 18h30. E já conta com os elogios da crítica.

“Um livro que se devora de uma ponta à outra. Se ainda não conhecem a Filipa Fonseca Silva, deviam conhecer. É uma autora talentosa e escreve uma história bestial”, escreveu o The Thursday Interview. Já o The Chicklit Pad garante: “nunca uma crise de meia-idade foi retratada de melhor forma”.

A edição inglesa de “Os 30 – Nada é como sonhámos”, publicada em 2011, fez com que Filipa se tornasse a primeira autora portuguesa a atingir o Top 100 da Amazon. Depois de ter sido publicado como edição de autora, este segundo livro está agora à disposição de todos pela mão da Bertrand Editora.

Licenciada em Comunicação Social e Cultural pela Universidade Católica, Filipa Fonseca Silva nasceu no Barreiro em 1979. Preferiu a Publicidade ao Jornalismo, tornando-se criativa publicitária em 2004, profissão que ainda exerce.

Além de escrever, adora pintar, colecionar sapatos e comer melancia. Vive em Lisboa com o marido, os filhos e o gato Gucci. Publica regularmente crónicas no seu blogue, que é seguido por milhares de pessoas.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A Chanceler alemã, Angela Merkel.  Fotografia: EPA / CARSTEN KOALL

Merkel ganha com pior resultado de sempre, AfD é terceira força política

Lamego foi a autarquia que mais agravou o endividamento. Fotografia:
Maria Jo‹ão Gala / Global Imagens

Passivo das câmaras baixou, mas há 30 que se endividaram mais

Gasóleo deve subir, na próxima semana, enquanto a gasolina deve baixar. Meio cêntimo apenas em ambos os casos

Impostos nos combustíveis valem 7% da receita do Estado

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
A primeira portuguesa a entrar no top 100 da Amazon está de volta com o segundo romance