fazedores

Adolescente fez melhor evento de empreendedores

Tiago Vidal é fundador da Go Youth Conference
Tiago Vidal é fundador da Go Youth Conference

Dois meses depois de vender a sua start-up Branch ao Facebook,
Josh Miller vem hoje a Lisboa contar como convenceu Mark Zuckerberg a
dar 11 milhões de euros pela empresa de partilha de links. Aos 23
anos, desistente de Princeton, Miller é um dos prodígios da Go
Youth Conference, conferência internacional criada por Tiago Vidal
quando tinha apenas 16 anos. Hoje tem 19.

A conferência que criou foi considerada pelo portal
norte-americano TechCrunch um dos “melhores eventos para start-ups
na Europa”. Este ano, traz também a Portugal Adam Cheyer, um dos
criadores do Siri – assistente digital que está em milhões de
iPhones em todo o mundo; David Noel, vice-presidente da Soundcloud; e
Sam Shank, CEO da HotelTonight. E foi Tiago Vidal, sozinho, quem
conseguiu convencê-los a todos.

Leia também: A idade não tem de ser um posto. Fazedores sub 30

“A parte dos oradores e principalmente a dos patrocinadores sou
eu que trato a 100%. Somos só quatro pessoas”, explica ao Dinheiro
Vivo. Com grandes dificuldades para cobrir os custos da conferência
– só no início da semana passada conseguiu todo o dinheiro -, Tiago
Vidal beneficiou da exposição que Lisboa tem tido nos media
internacionais, como uma cidade dinâmica, boa para visitar e para
fazer negócios. A organização paga as viagens e a estada e
organiza festas e jantares. Em troca, e porque é uma conferência
feita por jovens, os oradores não cobram pela sua participação.
“Não havia nada na Europa que fosse só dedicado a jovens e a
empreendedorismo”, sublinha Tiago Vidal. “O mais interessante
para os participantes são os conteúdos e a facilidade com que podem
falar com os oradores, uma coisa que nem sempre acontece. Não é
todos os dias que se fala com o tipo que criou o Siri.”

A conferência vai decorrer durante o fim de semana no ISCTE, com
apresentações de oradores nacionais e internacionais, mas também
terá palestras para os jovens que querem criar as suas empresas e um
bootcamp com dez start-ups que vão receber aconselhamento de
empreendedores mais experientes.

O problema, este ano, foi dinheiro, sendo que a organização
tenta manter os custos baixos e fazer parcerias e permutas. “Apesar
de termos aumentado um pouco o orçamento, tivemos a maior
dificuldade de sempre em arranjar patrocinadores. Empresas que dizem
que estão nisto do empreendedorismo marcam reunião e acham tudo
espetacular, mas quando chega a altura o que me dizem é: “Vai em
frente puto, vais conseguir apoios! Mas não é de nós”.”
Algumas propõem doar canetas e blocos de notas. “Os oradores que
nós trazemos a Portugal são os melhores de qualquer conferência de
empreendedorismo que haja cá”, lembra Tiago. “E mesmo assim,
deixam-nos na mão à última hora. Conseguimos cobrir tudo à unha.”

No ano passado, a Go Youth Conference teve 400 participantes; este
ano são esperados 500. A ideia é inspirar e ajudar no lançamento
de empresas. Entre os casos que serão apresentados, estão empresas
lançadas por portugueses com menos de 30 anos, havendo também lugar
a pitch de três minutos junto de potenciais investidores. “Não é
só inspirar. É explicar mesmo como é que se fizeram determinadas
coisas. O conteúdo é o ponto mais forte da conferência.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Assembleia da República. Fotografia: António Cotrim/Lusa

Gestores elegem medidas para o novo governo

Joana Valadares e a sócia, Teresa Madeira, decidiram avançar em 2015, depois do encerramento da empresa onde trabalhavam há 20 anos. Usaram o Montante Único para conseguir o capital necessário e a Mimobox arrancou em 2016. Já quadruplicaram o volume de negócios. (Foto cedida pelas retratadas)

Desempregados que criam negócios geram mais emprego

Salvador de Mello, CEO do grupo CUF (Artur Machado/Global Imagens)

CUF vai formar alunos médicos de universidade pública

Outros conteúdos GMG
Adolescente fez melhor evento de empreendedores