Coronavírus

Agostinho Pereira de Miranda canta fado pela esperança… e pelo D. Estefânia

Agostinho Pereira de Miranda. (Bruno Lisita / Global Imagens)
Agostinho Pereira de Miranda. (Bruno Lisita / Global Imagens)

Especialista em Energia que fundou a Miranda Advogados canta pela esperança. Veja o vídeo.

“Vai ficar tudo bem” é a mensagem mais repetida nas redes sociais, normalmente acompanhada dos arco-íris que deram origem ao movimento que pretende trazer esperança e consolo a todos os que sofrem os efeitos do novo coronavírus e do necessário confinamento. Agora, essa mensagem toma novas formas, como o Fado da Esperança, e vem até de quem tem uma bagagem bem diferente dos miúdos dos arco-íris. Mas o objetivo é o mesmo, ajudar-nos a todos a ultrapassar este momento extraordinariamente difícil.

É o que explica ao Dinheiro Vivo o autor do Fado da Esperança, o advogado com 30 anos de currículo e responsável por uma das mais importantes sociedades de advogados do país, Agostinho Pereira de Miranda.

“O fado que escrevi tem uma relação direta com a angariação de fundos que tenho estado a fazer para o hospital de Dona Estefânia”, justifica o fundador da Miranda e especialista em Direito da Energia e Arbitragem. “Em menos de uma semana, conseguimos entregar à direção do hospital quase 20 mil euros.”

Agostinho Pereira de Miranda conta ainda que procurou refletir no seu fado duas constatações: “as crianças são a nossa redenção e a fonte de toda a esperança; mas os idosos (os avós) são parte integrante do que somos e do que fomos. Uns são tão necessários para a vitória nesta batalha quanto os outros.” E conclui com a mensagem de esperança para todos: “Sabemos isso instintivamente porque somos um povo antigo. E é por isso que vai correr tudo bem.”

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
António Costa e Silva, responsável pelo plano para a economia nacional nos próximos dez anos.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Plano de Costa Silva. As bases estão lá, falta garantir boa execução

Filipe Santos, dean da Católica Lisbon Business and Economics ( Pedro Rocha / Global Imagens )

Filipe Santos: Risco de austeridade? “Depende de como evoluir a economia”

Filipe Santos, dean da Católica Lisbon Business and Economics ( Pedro Rocha / Global Imagens )Filipe Santos
( Pedro Rocha / Global Imagens )

Filipe Santos: Há um conjunto de empreendedores que vai continuar

Agostinho Pereira de Miranda canta fado pela esperança… e pelo D. Estefânia