smartphones

Apple cai para terceiro no ranking mundial de smartphones

O iPhone X até foi o smartphone que mais vendeu em vários mercados, mas a Huawei ultrapassou a Apple em termos de unidades
O iPhone X até foi o smartphone que mais vendeu em vários mercados, mas a Huawei ultrapassou a Apple em termos de unidades

Após ter liderado o mercado no último trimestre de 2017, a Apple é agora número três, algo que não acontecia desde 2010. A culpa é da Huawei

A Apple perdeu o segundo lugar no ranking mundial de maiores fabricantes de smartphones, uma queda inédita no seu historial na indústria. É a primeira vez desde 2010 que a marca que criou o iPhone não está em primeiro ou segundo lugar, e tudo graças a uma subida extraordinária da Huawei no segundo trimestre de 2018.

De acordo com os dados divulgados pela IDC, a marca chinesa passou para segundo ao vender 54,2 milhões de smartphones nos três meses entre março e junho, um crescimento de 40,9% que deixou a Apple a comer pó. A quota da Huawei subiu para 15,8%, aproximando-se da líder Samsung, que também perdeu terreno e tem agora 20,9%.

Portugal não escapou a esta “onda” de sucesso da Huawei: a marca tornou-se líder do mercado português no mês de maio, com 28% de quota e subidas expressivas nas vendas dos topos de gama.

No entanto, não é que a Apple tenha perdido quota – até subiu, de 11,8% no homólogo para 12,1% neste momento. Também vendeu mais iPhones, num total de 41,3 milhões. O surpreendente foi a performance da Huawei, que em termos de percentagem de crescimento só ficou atrás dos 48,8% da também chinesa Xiaomi.

“O crescimento continuado da Huawei é, no mínimo, impressionante, tal como a sua capacidade de entrar em mercados onde era basicamente desconhecida até há pouco tempo”, afirma o analista Ryan Reith, da IDC. “Vale a pena notar que a Apple chegou à liderança nas duas últimas épocas natalícias após o refrescamento dos produtos, por isso é provável que vejamos mais movimento no top em 2018 e depois.” De facto, a Apple costuma dar um salto e tornar-se número um entre outubro e dezembro, altura em que lança os novos iPhones e é empurrada pelas compras natalícias.

Este foi um trimestre de contrastes, num momento em que o mercado global está a cair: venderam-se menos 1,8% de smartphones, cerca de 342 milhões. Foi o terceiro trimestre consecutivo de quebras, uma tendência que continua a preocupar investidores e fabricantes. A contração das vendas globais deve-se, diz o analista Anthony Scarsella, à combinação da saturação do mercado, maiores taxas de penetração dos smartphones e preços médios de venda mais elevados.

É que o que temos agora no mercado é uma luta pelo segmento ultra-premium, dos smartphones que custam acima dos 700 euros e estão normalmente nas mãos da Apple, Samsung e Huawei, conforme a região. O analista Ryan Reith explica que é “pouco provável” que isto mude no curto prazo, mas refere que as fabricantes chinesas Xiaomi, Oppo e vivo procuram aumentar o preço médio de venda dos smartphones, tentando convencer os utilizadores a gastarem um pouco mais em dispositivos melhores. Notável neste ranking é a ausência de outras marcas muito populares, como LG e Asus.

As análises da IDC têm variado quanto à disposição dos consumidores para comprarem smartphones mais caros, embora os excelentes resultados financeiros da Apple comprovem que há uma grande fatia do mercado aberta a este segmento. Anthony Scarsella refere que os consumidores “continuam disponíveis para pagar mais por modelos premium em vários mercados”, mas esperam que os mesmos durem mais que os smartphones de gerações anteriores. Ou seja, vão querer fazer render o investimento e adiar uma nova compra o mais possível.

Para combater a desaceleração que advém desse fenómeno, diz Scarsella, as fabricantes “devem focar-se em funcionalidades e formatos inovadores combinados com incentivos e promoções para impulsionar o crescimento em muitos destes mercados altamente competitivos.”

No que respeita à Apple, a IDC notou que o iPhone teve uma “boa performance” no segmento mais elevado e que o iPhone X continua a ser o mais vendido “em muitos mercados.” Os novos modelos do telefone deverão ser anunciados entre o início e meados de setembro.

Top 5 de fabricantes no segundo trimestre de 2018 (dados IDC)

1. Samsung – 20,9%

2. Huawei – 15,8%

3. Apple – 12,1%

4. Xiaomi – 9,3%

5. OPPO – 8,6%

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro adjunto Pedro Siza Vieira. 
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Proposta que cria sociedades de investimento em imóveis avança até final do ano

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Despesa com juros da dívida ultrapassou 5 mil milhões de euros até julho

Apple devolve à Irlanda14 mil milhões em ajudas consideradas ilícitas

Outros conteúdos GMG
Apple cai para terceiro no ranking mundial de smartphones