Calcule: cuidado com as compras

Faltam dez dias para o Natal
Faltam dez dias para o Natal

Goste-se ou não da data, com crise ou menos crise, a verdade é que o Natal está à porta. E comece a pensar que talvez não seja boa ideia (mesmo economicamente falando) deixar tudo para os últimos dias. Como os tempos são de vacas magras e os subsídios de Natal vão sofrer cortes de 50% (antes de acabarem), o melhor é ir preparando-se já para não ter surpresas desagradáveis.

1. Esteja preparado. Sente-se e faça uma lista daqueles a quem vai dar presentes este ano. Elabore um orçamento coerente para não acabar por gastar mais do que pode.

2. Poupe, poupe, poupe. Se conseguir pôr de lado 10 euros por semana, vai chegar às compras de Natal com… 100 euros. Nada mau e pode resolver alguns problemas

3. Tenha cuidado com o crédito. Se já sabe que não vai ser possível começar a poupar para o Natal, tenha cuidado com a utilização que vai fazer do cartão de crédito. As elevadas taxas de juro que as empresas cobram (a rondar os 30%) podem ser bastante penalizadoras. Escolha cartões de crédito com períodods de carência que lhe permitam pagar os gastos sem juros. Se não pagar logo o que deve e deixar passar o período “gratuito”, vai afundar-se num mar de juros do qual terá muitas dificuldades em sair.

4. Esteja atento aos vouchers. Não precisa de esperar pelo aproximar do Natal para comprar presentes. Aproveite todas as promoções que encontrar e esteja particularmente atento aos sites que oferecem vouchers de desconto (tipo Groupon). Pode conseguir descontos superiores a 50%.

5. Seja criativo. Se a crise não lhe permite sequer pensar em comprar presentes este ano, seja criativo e faça o seus próprios presentes. Compotas, biscoitos ou chocolates são sempre boas alternativas. Se cozinhar não é o seu forte, na área da bricolage há todo um mundo de hipóteses.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
António Costa (E) e Charles Michel (D). Fotografia: EPA/JOHN THYS

Costa. Orçamento de Charles Michel é para os “países forretas”

A companhia portuguesa teve ontem de colocar os viajantes noutros voos. foto: Global Notícias

TAP estuda soluções para passageiros nos voos com Venezuela

O ministro das Finanças, Mário Centeno, com o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes. Fotografia: Filipe Amorim/Global Imagens

Portugal melhora transparência financeira, mas ainda tem nota negativa

Calcule: cuidado com as compras