televisão

Canal 11 já chegou com sonhos futebolísticos e 1,5 milhões de orçamento

(Canal 11/Twitter)
(Canal 11/Twitter)

Federação lançou esta quinta-feira o seu canal de desporto Canal 11 nos três principais operadores por cabo e com ajuda financeira da UEFA

É um canal de televisão que começou as emissões oficiais esta manhã, pelas 11h11 (está disponível na posição 11 em todas as operadoras de televisão por cabo, presente em Meo, NOS e Vodafone – parceiros no projeto), que até começou por transmitir vídeos online e tem um objetivo chegar a quatro milhões de pessoas em Portugal.

O seu diretor, Nuno Santos, explicou já que “chamá-lo apenas de canal é demasiado redutor”. A aposta será multiplataforma, daí que a Federação Portuguesa de Futebol tenha já anunciou que o Canal 11 estabeleceu um acordo de colaboração com a AWS (os serviços de cloud da Amazon dominantes no mundo), de modo a que o novo canal utilize a plataforma para “oferecer uma melhor qualidade nos serviços de vídeo-streaming”.

“O ’11’ nunca vai ser feito só para os ecrãs de televisão. Os nossos conteúdos vão nascer para o Facebook, Instagram, YouTube, Whatsapp, mail e televisão”, explicou recentemente Nuno Santos à Lusa. O canal pretende mesmo ter 600 transmissões em direto por ano, onde se inclui informação, debate e análise. Também haverá espaço para um programa noturno mais a pensar no público menos próximo do futebol.

E de onde vem o financiamento?

De acordo com a própria FPF, já em abril, o investimento será pago na totalidade pela UEFA, o organismo que rege o futebol europeu. O financiamento pressupõe a comparticipação nos custos do edifício que foi construído de propósito para o novo canal na Cidade do Futebol e para os equipamentos de estúdio.

O único valor oficial de orçamento conhecido é alocado para a temporada 2019/2020 e ronda os 1,5 milhões de euros. Depois, o canal irá tentar procurar uma fatia maior através de publicidade.

A FPF informou na altura de que a UEFA “avaliou de forma muito positiva o projeto 11, uma plataforma de conteúdos inovadora que permitirá alargar a divulgação do futebol português, nas suas diferentes vertentes”. O financiamento da UEFA surge no âmbito do programa “hat-trick”, que apoia projectos futebolísticos das várias federações nacionais e que já tinha sido responsável pelo financiamento de construção da Cidade do Futebol.

(Mourinho e Vítor Baía estiveram presentes na emissão desta manhã)

Objetivos traçados: mais gente no futebol

Em entrevista recente à Lusa, Nuno Santos admite que a curto prazo “o objetivo maior é trazer mais gente para o futebol, sobretudo fazer com que mais rapazes e raparigas pratiquem futebol”.

No que considera um desafio apaixonante, “construir algo a partir do zero é exigente”, mas também “altamente estimulante. Relativamente à grelha, esta “terá uma forte componente de transmissões de jogos – dos juniores ao Campeonato de Portugal, da Liga BPI à Liga Revelação, além do futsal masculino e feminino e, claro, das seleções nacionais – e programas com matrizes muito diversificadas”.

O novo canal contará ainda com opinião, análise, debate e entretenimento. “Vítor Baía estreia-se como pivô de televisão, o Nuno Graciano veste a pele de repórter e viaja pelo país, Sofia Oliveira vai ser uma revelação na conversa com Jesualdo Ferreira, Iva Domingues apresenta um programa sem tabus com convidados fora do meio futebolístico”, adiantou Nuno Santos.

O dia de hoje tem contado com vários nomes conhecidos do futebol português. Além do de Rui Costa e José Mourinho, entre outros, o selecionador de futebol, Fernando Santos, e o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vão estar a conversar, em direto a partir de Belém, moderados pelo diretor do canal, Nuno Santos.

Há ainda um acordo recente estabelecido entre a FPF e a SportTV que permite a partilha de conteúdos entre o canal 11 e o operador televisivo de desporto.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
EPA/MICHAEL REYNOLDS

Ação climática. Portugal vai ter de gastar mais de um bilião de euros

Quartel da Graça, em Lisboa. (Fotografia: D.R.)

Revive: Sete hoteleiros na corrida para transformar o Quartel da Graça

Thomas Cook era a agência turística mais antiga do mundo. ( EPA/ARMANDO BABANI)

Thomas Cook declarou falência. 600 mil turistas procuram solução

Outros conteúdos GMG
Canal 11 já chegou com sonhos futebolísticos e 1,5 milhões de orçamento