WhatsApp

#ConectaBrasil. O dia em que o Brasil acordou sem Whatsapp

Aplicação foi bloqueada por todas as operadoras fixas e móveis do Brasil, por ordem judicial do Ministério Público.

Os brasileiros vão ficar sem Whatsapp nos próximos dois dias: a 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo enviou uma ordem judicial para as operadoras que exigiu o bloqueio da aplicação em todo o país. A decisão, sob segredo de justiça, surge na sequência de uma determinação judicial de 23 de julho de 2015 à qual o Whatsapp não respondeu.

De acordo com o jornal brasileiro Estadão, o Facebook, dono do Whatsapp, terá sido novamente notificado e terá sido fixada uma multa em caso de incumprimento.

“Como, ainda assim, a empresa não atendeu à determinação judicial, o Ministério Público requereu o bloqueio dos serviços”, disse o Tribunal de Justiça de São Paulo em comunicado, citado pelo jornal, que avança com sugestões alternativas à utilização da app.

Na prática, as operadoras brasileiras são obrigadas por lei – sob pena de multa – a bloquear o acesso dos clientes à aplicação e aos domínios correspondentes. A versão online do serviço de mensagens instantâneas também estará proibida durante dois dias.

“Hoje à noite, um juiz brasileiro bloqueou o WhatsApp para mais de 100 milhões de usuários do aplicativo no país. Estamos trabalhando duro para reverter essa situação. Até lá, o Messenger do Facebook continua ativo e pode ser usado para troca de mensagens”, começou por escrever Mark Zuckerberg, em português do Brasil, na sua conta de Facebook.

“Este é um dia triste para o país. Até hoje o Brasil tem sido um importante aliado na criação de uma internet aberta”, escreveu Mark Zuckerberg no Facebook.

Esta não é a primeira vez que uma medida judicial dá origem ao bloqueio do Whatsapp no Brasil: em fevereiro deste ano, outro tribunal, no Piauí, pediu a suspensão do serviço depois de a aplicação não cumprir a ação que pedia o acesso aos dados da app para investigar o caso. Citado pelo Estadão, o Facebook alega que o Whatsapp se trata de uma “entidade independente”.

Mark Zuckerberg, fundador e CEO do Facebook Fotografia: REUTERS/Adnan Abidi

Mark Zuckerberg, fundador e CEO do Facebook Fotografia: REUTERS/Adnan Abidi

“Este é um dia triste para o país. Até hoje o Brasil tem sido um importante aliado na criação de uma internet aberta. Os brasileiros estão sempre entre os mais apaixonados em compartilhar suas vozes online. Estou chocado que nossos esforços em proteger dados pessoais poderiam resultar na punição de todos os usuários brasileiros do WhatsApp pela decisão extrema de um único juiz. Esperamos que a justiça brasileira reverta rapidamente essa decisão. Se você é brasileiro, por favor faça sua voz ser ouvida e ajude seu governo a refletir a vontade do povo”, acrescentou o CEO do Facebook, dono do Whatsapp.

Também o cofundador e presidente-executivo do Whatsapp falou sobre o tema, considerando que com a medida o “Brasil isola-se do mundo”. “Estamos desapontados com a decisão míope de bloquear o acesso ao Whatsapp, uma ferramenta de comunicação da qual tantos brasileiros dependem, e tristes de ver o Brasil a isolar-se do resto do mundo”, afirmou Jan Koum.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Felipe VI, rei de Espanha

Sem acordo para governo, Espanha pode ir de novo a eleições em novembro

Felipe VI, rei de Espanha

Sem acordo para governo, Espanha pode ir de novo a eleições em novembro

Pedro Amaral Jorge, presidente da APREN
(João Silva/Global Imagens)

APREN. Renováveis contribuem com 15 mil milhões de euros para o PIB

Outros conteúdos GMG
#ConectaBrasil. O dia em que o Brasil acordou sem Whatsapp