“Dicionário” para computadores criado em Coimbra vence prémio internacional

Universidade de Coimbra
Universidade de Coimbra

Uma espécie de dicionário para ser utilizado por computadores - WordNet -, desenvolvido pelo investigador Hugo Gonçalo Oliveira, da Universidade de Coimbra (UC), venceu o prémio de Melhor Tese de Doutoramento numa competição internacional.

O “dicionário” para “ajudar os computadores a perceberem melhor a língua portuguesa” conquistou a distinção atribuída no âmbito da 11.ª International Conference on Computational Processing of Portuguese (PROPOR 2014), que irá decorrer na Universidade de São Carlos, em São Paulo (Brasil), entre os dias 6 e 8 de outubro, anunciou hoje a UC.

Leia também:Universidade de Coimbra quer captar mais estudantes estrangeiros

Na prática, o trabalho premiado pela PROPOR 2014 (“o principal evento internacional na área do processamento computacional da língua portuguesa”), permite que “os computadores entendam mais de português”, explicita a UC.

Para os computadores compreenderem a língua dos humanos são necessárias “várias ferramentas complexas que os ensinem'”, sublinha a UC, indicando que “uma dessas ferramentas é precisamente a WordNet”.

A WordNet é “uma base de dados lexical que organiza as palavras de acordo com os seus possíveis sentidos” (estão para as máquinas como os dicionários estão para os humanos) e serve para “o computador compreender o que está escrito, no caso em português”, esclarece Hugo Gonçalo Oliveira.

Para a língua portuguesa, “as wordnets existentes têm limitações ao nível da disponibilidade, método de construção e cobertura”, acrescenta o autor do projeto, que é docente do Departamento de Engenharia Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC.

O Onto.PT, designação atribuída à ferramenta desenvolvida por aquele especialista, procura “ultrapassar essas limitações através da criação gratuita” de “grandes dimensões e gerada de forma automática, para assim ultrapassar o tempo necessário para uma construção manual”.

Recorrendo a esta e outras ferramentas criadas entre 2010 e 2013, no âmbito deste projeto orientado pelo investigador Paulo Gomes, os computadores “poderão compreender melhor a língua portuguesa, o que poderá ter impacto no desenvolvimento de melhores sistemas de pesquisa inteligente, de ajuda à escrita ou de tradução automática, entre outros”, conclui Hugo Gonçalves Oliveira.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
The World Economic Forum, Davos
Fabrice COFFRINI/AFP

Líderes rumam a Davos para debater a nova desordem mundial

Mário Centeno

Privados pedem ao Estado 1,4 mil milhões de euros em indemnizações

Luis Cabral, economista.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Luís Cabral: “Pobreza já não é só ganhar 2 dólares/dia”

“Dicionário” para computadores criado em Coimbra vence prémio internacional