Saúde

É fã de fast food? É provável que tenha mais químicos industriais no organismo

O "fat tax" surge como uma resposta que interliga a receita do Estado ao discurso de consumo responsável
O "fat tax" surge como uma resposta que interliga a receita do Estado ao discurso de consumo responsável

Especialistas alertam para os riscos de fast food e produtos processados no aumento de químicos industriais no organismo.

Se comeu fast food nas últimas 24 horas é provável que tenha níveis elevados de químicos industriais no organismo, segundo um estudo publicado no Environmental Health Perspectives, citado pela Reuters.

O estudo analisa como a ingestão de fast food expõe os indivíduos a certos químicos denominados ftalatos, usados na indústria para tornar os plásticos mais flexíveis e duráveis. Mas não só. Estes químicos, que não se encontram na natureza, estão habitualmente presentes em cosméticos, sabões, embalamento de comida e outros produtos de consumo.

Investigadores da Universidade de George Washington nos Estados Unidos analisaram dados de cerca de 9 mil pessoas que aceitaram participar num inquérito de nutrição entre 2003 e 2010, respondendo a perguntas detalhadas sobre o que comeram nas últimas 24 horas, tendo ainda dado amostras de urina para análise.

Para dois dos tipos de ftalatos (DEHP e DiNP) examinados, os investigadores havia uma relação entre a ingestão de fast food e a exposição a estes químicos, com as pessoas que tinham ingerido este tipo de comida a apresentar maiores evidências de ftalatos na urina. Outro dos químicos testados foi o Bisfenol (também comummente usado na produção de plásticos e no alumínio). Esse químico não foi significativamente correlacionado com a ingestão de fast food.

Os especialistas dividem-se sobre os riscos de saúde colocados pelos ftalatos e este estudo mais recente não acompanha os participantes ao longo do tempo, não podendo assim fazer-se uma ligação se a fast food causa níveis elevados de ftalatos. Mas há uma forte associação. Nem não é a só a fast food. Todo o tipo de alimentos processados contêm químicos.

O estudo “adiciona dados que ajudam a apoiar a noção de que as pessoas deveriam evitar comida altamente processada ou com embalada”, alerta Leo Trasande, professor associado de pediatria, medicina ambiental e saúde pública na Faculdade de Medicina da Universidade de Nova Iorque, citado pela Reuters. Legumes enlatados ou até mesmo leite orgânico que tenha sido embalado através de tubos de plástico podem acarretar os mesmos riscos. Conselho dos especialistas? Opte por produtos orgânicos, legumes frescos e sem serem embalados.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ensino profissional é uma das áreas em que Portugal se posiciona pior na tabela do IMD World Talent Ranking 2019. Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal é 23º no ranking mundial de talento. Caiu seis posições

O ensino profissional é uma das áreas em que Portugal se posiciona pior na tabela do IMD World Talent Ranking 2019. Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal é 23º no ranking mundial de talento. Caiu seis posições

Presidente executivo da TAP Antonoaldo Neves. Fotografia: NUNO FOX/LUSA

TAP faz emissão de dívida só para investidores institucionais

Outros conteúdos GMG
É fã de fast food? É provável que tenha mais químicos industriais no organismo