Esta app portuguesa dá dinheiro ao gravar vídeos com o telemóvel

ng4440122

Glymt é uma aplicação (app) portuguesa que funciona nos dois sentidos: serve para quem gosta de fazer vídeos com telemóvel e quer ganhar uns trocos extra e é a opção ideal para quem procura vídeos curtos sobre temas específicos.

Desenvolvida pela startup portuguesa com o mesmo nome da aplicação, a Glymt explica que é seu principal objetivo “não só juntar quem procura vídeos com quem sabe produzi-los, criando conteúdo criativo e genuíno, mas, e acima de tudo, revolucionar e democratizar a forma como se licencia vídeo…”

Ler também: Startup Braga. Segundo programa de aceleração já arrancou

Glymt assume-se assim como “um mercado e uma comunidade online vocacionada para vídeos curtos, onde cineastas profissionais ou amadores podem ganhar dinheiro e reconhecimento, ao responder a pedidos de vídeos de marcas internacionais, ao mesmo tempo que licenciam, de forma simples, as suas próprias coleções de vídeo”, reforçam os seus criadores.

Lançada há poucas semanas, a Glymt conta já com 6 mil membros, centenas de vídeos publicados e a app, que já atingiu os tops da App Store, pode ser descarregada gratuitamente, aqui. Cada vídeo pode render, pelo menos, 20 euros para o seu realizador.

Depois é esperar para receber pedidos selecionados conforme o seu perfil. Quem filma pode responder a esses pedidos com vídeos já existentes na sua coleção ou então gravar um novo vídeo entre 5 e 20 segundos através da própria app.

Quem usa a Glymt pode ainda transferir, editar, fazer tag e publicar os seus vídeos, ao mesmo tempo que gere, a partir da sua conta, o saldo e licenciamentos recebidos, entre várias outras funcionalidades.

Por outro lado, através da plataforma da Glymt, as marcas podem pedir vídeos para usar nos seus projetos, desafiando os utilizadores da comunidade que estejam no local, equipados com a câmara HD do seu telemóvel, a responder em tempo real. Aos pedidos de vídeo, as marcas podem acrescentar todos os requisitos necessários, assim como scripts, locais e storyboards específicos.

Para assegurar que se recebe o vídeo que realmente se procura, quem quer comprar pode facilmente explorar as coleções de vídeo da comunidade para conseguir um preço de licenciamento mais competitivo ou então definir o preço máximo que quer pagar por cada vídeo, de forma a atrair mais utilizadores.

Independentemente do processo escolhido, os pedidos são sempre grátis e só paga o vídeo que realmente desejar licenciar. Além de que todos os vídeos enviados pela comunidade são pré-selecionados antes de serem publicados na plataforma, para garantir a qualidade dos vídeos e evitar o abuso e infração de direitos de autor, segundo os seu criadores.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página Inicial

Francisco Pedro Balsemão, CEO do grupo Impresa. Foto: DR

Impresa desfaz-se das revistas e aposta na TV e no digital

Luís Reis, CCCO da Sonae. Fotografia: 
Alfredo Cunha  / Global Imagens

Grupo Sonae não teme impacto da entrada da Amazon em Portugal

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Esta app portuguesa dá dinheiro ao gravar vídeos com o telemóvel