música

Esta rede de crowdfunding é para músicos

ng3103127

Quando a cantora Amanda Palmer quis gravar o seu álbum a solo sem
uma editora, pediu 100 mil dólares aos fãs na plataforma de
crowdfunding Kickstarter. Um mês depois, em junho de 2012, quase 25
mil pessoas tinham investido cerca de 1,2 milhões de dólares na
ex-cantora das Dresden Dolls.

Foi um momento histórico para a
indústria da música, e provou que é possível usar plataformas de
crowdfunding para financiar esta arte. É nisto que acredita também
a Markup, uma agência de marketing digital, que acaba de lançar a
primeira plataforma de financiamento coletivo de músicos em
Portugal.

“Achámos que havia espaço para projetos de crowdfunding na
área musical, para ajudar novos artistas que precisassem de apoio
financeiro”, explica ao DN Victor Ruivo, diretor geral da Markup e
mentor do projeto.

A Rede Social de Música foi criada em parceria
com a Sociedade Digital, uma organização sem fins lucrativos, e já
está no ar com a primeira campanha – um artista de rap de 16 anos,
Francisco Ruivo, que pede cinco mil euros até junho para lançar o
seu primeiro álbum.

“A rede é focada no mercado português, para artistas
portugueses que cantam em português”, sublinha o responsável. Os
artistas que quiserem lançar-se numa campanha de angariação de
fundos têm de se registar, explicar o projeto, definir um alvo
financeiro e uma data limite para o investimento. Se conseguirem
chegar ao montante pedido, o dinheiro é-lhes entregue. Se não
conseguirem, é devolvido às pessoas que investiram. “O
corwdfunding é um processo de financiamento diferente e começa
agora a aculturar-se em Portugal, começa a ser visto como uma
opção.”

O foco são artistas sem editora e sem estrutura de
apoio. A rede será gerida pela equipa da Markup e permite aos seus
membros venderem, leiloarem, anunciarem ou lançarem petições para
as suas iniciativas. A angariação de contribuições é feita
diretamente no perfil de cada músico ou banda.

Nenhuma das empresas terá receitas com a plataforma. A Sociedade
Digital, sem fins lucrativos, espera “contribuir para o
desenvolvimento da cultura musical através da divulgação de novos
talentos”, que consigam através da rede “não só captarem fãs
mas também financiamento para os seus projetos.”

A promoção da
nova plataforma, disponível em http://musica.redes-sociais.com/,
será feita essencialmente nas redes sociais, sendo possível
registar-se usando a conta de Facebook.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(REUTERS/Tyrone Siu/File Photo)

Portugal é campeão na venda de carros elétricos, mas falta rede de carregamento

Huawei | Google | Android

Smartphones Huawei vão ser atualizados, garante a marca

Fotografia: Pedro Rocha/ Global Imagens

Taxa turística já rende 30 milhões às câmaras. É uma subida de 56%

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Esta rede de crowdfunding é para músicos