Tecnologia

Facebook Workplace ganha 2 milhões de clientes pagos e novas valências

Facebook Workplace
Facebook Workplace

Ferramenta profissional do Facebook, Workplace, ganhou 66,6% clientes pagos na pandemia e anuncia novidades que incluem realidade virtual.

Não é do conhecimento do público em geral, mas o Facebook tem há alguns anos uma plataforma de colaboração profissional chamada Workplace e que não só serve os seus 45 mil funcionários, como é também um negócio com clientes pagos externos à empresa. O Facebook anunciou esta quinta-feira que o serviço rival do Slack ou do Teams, da Microsoft, tinha três milhões de clientes em outubro passado e passou agora a ter mais de 5 milhões de utilizadores pagos, uma subida de dois milhões – 66,6%. Quase todos em tempos de pandemia.

Muitos serviços de colaboração profissional têm tido um crescimento nesta altura de aumento exponencial do teletrabalho e em março o Slack conseguiu superar os 12,5 milhões de utilizadores em simultâneo, enquanto o Teams (incluído nos pacotes empresariais da Microsoft para outros serviços) atingiu 44 milhões de clientes e 75 milhões de utilizadores ativos em abril – um salto de 70% face ao mês anterior.

Novos serviços “pelo futuro do trabalho”

Esse não foi o único anúncio sobre o serviço que o Facebook – que tem andado ao rubro em anúncios no último mês – fez hoje. Mark Zuckerberg, que já ontem tinha apresentado o Facebook Shops, para dar novas ferramentas para as pequenas empresas venderem online, anunciou novas funcionalidades associadas ao Workplace, incluindo um serviço de videoconferência chamado Workplace Rooms – já tinha lançado em abril a versão não profissional Messenger Rooms – e que é rival do popular Zoom.

Com ele chegam também legendas com tradução automática ao vivo em seis idiomas para os vídeos do Workplace Live nas transmissões em direto e a possibilidade de inserir um formato ‘Pergunta/Resposta’ dentro da emissão.

Tal como outras empresas tecnológicas – o Twitter já o tinha anunciado a semana passada -, o Facebook anunciou hoje que vai dar aos seus trabalhadores a hipótese de trabalharem de casa, mesmo depois da pandemia. Dentro do conceito das novas valências do Workplace, Zuckerberg diz que estão focadas naquele que será “o futuro do trabalho”. O CEO da maior rede social do planeta já tinha dito há dois anos e repetiu o ano passado que vê um futuro próximo em que a maioria das reuniões não sejam presenciais (com ajuda da realidade virtual), dando liberdade a cada de um de viver onde quer e poder trabalhar de casa sem perder nada por isso.

Voltando às novidades apresentadas, agora há a possibilidade de se usar para as videochamadas do Workplace o Portal, um dispositivo ao estilo coluna inteligente e com ecrã e câmara pensado para as videochamadas que o Facebook lançou o ano passado – oficialmente não está à venda em Portugal mas é possível comprá-lo pela Amazon.

Uma das paixões de Zuckerberg, a realidade virtual, também é agora incluída no serviço através dos óculos da realidade virtual (RV ou VR) da Oculus – outra das empresas que o Facebook comprou nos últimos anos. O Facebook indica que o dispositivo passa a integrar “o leque de ferramentas disponíveis para as empresas, para quem procura um tipo de colaboração mais interativa”, é indicado em comunicado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
dbrs-1060x594

DBRS mantém rating de Portugal em ‘BBB’ e perspetiva estável

O primeiro-ministro, António Costa, intervém durante a cerimónia de assinatura de declaração de compromisso de parceria para Reforço Excecional dos Serviços Sociais e de Saúde e lançamento do programa PARES 3.0, no Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, em Lisboa, 19 de agosto de 2020. ANDRÉ KOSTERS/LUSA

“Na próxima semana podemos chegar aos 1000 casos por dia”, avisa Costa

App Stayaway covid

App Stayaway Covid perto do milhão de downloads. 46 infetados enviaram alertas

Facebook Workplace ganha 2 milhões de clientes pagos e novas valências