Arte Urbana

Instagram não é para selfies. 38 fachadas do “caçador de cores”

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Existe cor nas cidades. A prova? As 234 publicações no Instagram de Ramin Nasibov, um artista que se dedica a capturar cor no horizonte urbano.

Ramin Nasibov, nascido em Baku, no Azerbaijão, é um instagrammer que se define como “caçador de cores”.

Com 20.000 seguidores, o seu único objetivo é “encontrar a cor no horizonte cinzento das grandes cidades”. Assim, cada vez que viaja pela Europa, dedica-se a fotografar as fachadas mais originais que encontra pois, para o designer gráfico, arquitetura colorida pode ser encontrada em qualquer cidade.

Para Nasibov “mesmo a escultura arquitetónica mais conhecida pode ser mostrada a partir de uma perspetiva completamente nova”. O jovem confessa que a estética marcante do cineasta Wes Anderson é uma inspiração para o seu trabalho, visto que, para o instagrammer, “as três prioridades chave são o minimalismo, a assimetria e as cores vibrantes.

A captura destes elementos permitem ver edifícios antigos com uma nova perspetiva”, sublinha em entrevista ao The Guardian. O designer defendeu ainda que o Instagram é uma ferramenta útil para os artistas, “não serve só para tirar selfies e fotografar gatos”, afirmou.

O Dinheiro Vivo apresenta-lhe algumas das suas obras.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 04 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

Governo vê economia a crescer 4,3% em 2021 e desemprego nos 8,7%

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, durante a conferência de imprensa após a reunião extraordinária da Comissão Permanente de Concertação Social por video-chamada, no Ministério da Economia, em Lisboa, 16 de março de 2020. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Segunda fase do lay-off custa mais de 700 milhões de euros

Jorge Rocha de Matos, presidente da Fundação AIP. Foto: direitos reservados

Rocha de Matos: IVA devia ser de 6% em todos os eventos para ajudar o turismo

Instagram não é para selfies. 38 fachadas do “caçador de cores”