Arte Urbana

Uma visão diferente do mundo subterrâneo

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

O artista italiano Biancoshock decidiu esconder quartos subterrâneos em miniatura em todo o distrito de Lodi, Milão.

Escondem-se da sociedade, mas a verdade é que existem, ainda, muitas pessoas, e na Europa, que vivem no subsolo, nos esgotos. O artista italiano Biancoshock decidiu esconder quartos subterrâneos em miniatura em todo o distrito de Lodi, Milão.

O artista transformou poços abandonados em moradias subterrâneas, numa série de arte urbana que intitulou de Borderlife (que pode ver na fotogaleria). As três salas subterrâneas estão situadas dentro de cofres de manutenção vagos, debaixo de portas de metal.

Os espaços incluem uma pequena cozinha com utensílios de suspensão e um relógio de parede; uma casa de banho com um chuveiro e toalha em anexo; e uma pequena entrada de casa com papel de parede, uma pintura e um chapéu.

Com esta intervenção, Biancoshock queria chamar a atenção para a situação de muitas pessoas forçadas a viver em condições extremas. A sua fonte de inspiração foi Bucareste, onde mais de 600 pessoas vivem no subsolo, nos esgotos.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Vítor Constâncio, fala perante a II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República. TIAGO PETINGA/LUSA

Constâncio: Risco para a estabilidade no crédito a Berardo era “problema da CGD”

Outros conteúdos GMG
Uma visão diferente do mundo subterrâneo