Governo quer lançar mais canais em sinal aberto na TDT

TDT vai ser monitorizada

Miguel Poiares Maduro, ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, defendeu hoje na Comissão para a Ética, a Cidadania e
a Comunicação o aumento do número de canais da RTP na TDT (televisão digital terrestre), no início de 2014.

Ler mais: Poiares Maduro explica futuro da RTP:
administração passa a ser escolhida por conselho independente

O ministro com a tutela da comunicação social apresentava o modelo de contrato de serviço público quando revelou que a RTP vai fazer estudos de avaliação para a criação de vários canais. “A TDT tem de aumentar a oferta”, disse, já que os canais em sinal aberto são “insuficientes.”

O aumento do número de canais em sinal aberto na TDT é de uma “grande complexidade técnica e jurídica”, mas é vontade do governo “aumentar a sua oferta aos portugueses”, que inclua um novo canal de informação, que terá de apostar na proximidade com janelas regionais e um canal infanto-juvenil.

Defendendo que este alargamento de canais deve ser debatido, Miguel Poiares Maduro diz que o Governo “apoia” o processo de discussão pública que vai ser lançado pela Anacom (Autoridade Nacional de Comunicações) e pela ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social).

Para acompanhar este processo, haverá uma comissão nomeada pelo Governo constituída por Ponce Leão, Pedro Machado, Júlio Gomes e Ricardo Correia.

Quem não está de acordo são as televisões privadas, SIC e TVI, que já ameaçaram recorrer para os tribunais. Ver aqui.

Quantos aos aos restantes canais, Miguel Poiares Maduro disse que a RTP1, no novo modelo de contrato de serviço público, será dirigido ao grande público, com conteúdos diferenciadores, enquanto a RTP2 terá uma vertente mais cultural.

Já os serviços internacionais serão reformulados, passando a sua sede para o Porto.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A Loja das Conservas tem um restaurante para promover o consumo deste produto. Fotografia: Leonardo Negrão/Global Imagens

Turistas fazem disparar vendas de conservas portuguesas

Miguel Gil Mata,  presidente executivo, da Sonae Capital, nos estúdios da TSF.
Foto: Reinaldo Rodrigues/Global Imagens

Sonae Capital: “Mercado imobiliário está muito aquecido. Há que ser cuidadoso”

Fotografia: DR

Elliott quer EDP nas renováveis. Mas tem forçado vendas nos EUA

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Governo quer lançar mais canais em sinal aberto na TDT