Há festivais para tudo. Agora até para comida de rua

Um dos operadores do festival
Um dos operadores do festival

Após o Street Food Festival de Oeiras, que começa dia 25 de junho, a Associação de Street Food Portugal anuncia novas datas e locais de mais oito festivais.

Assim, de julho a outubro, do Porto a Portimão, há um festival de comida de rua para cada gosto. Alguns dos festivais terão dinâmicas muito próprias, contando com marcas internacionais de street food e com sunset partys, animação e DJ”s.

Ler também: Festivais: No Primavera Sound de Barcelona os bares são todos portugueses

O Street Food é um conceito cada vez mais na moda na Europa e que está a ganhar adeptos em Portugal. Depois do European Street Food Festival, e da criação da Associação Street Food Portugal este conceito “foi muito bem recebido no nosso país e em forte expansão, que se confirma pela sucessão de festivais que se vão realizar pelo país, até final de outubro”, explica a organização.

Deste modo, foi criado um calendário, em que o festival passa por:

– Portimão – 17 de Julho a 1 de agosto;

– Costa da Caparica – 21 a 30 de agosto;

– Amadora – 10/13 setembro;

– Ericeira – agosto – a confirmar;

– Peniche – agosto – a confirmar;

– Faro – 4/5 setembro;

– Porto -10 a 20 de setembro;

– Estoril – Street Food & Beer Festival -1 a 4 de outubro – a confirmar.

A Associação de Street Food Portugal, entidade sem fins lucrativos, “pretende afirmar uma cultura de street food made in Portugal, agregando valor cultural, social, turístico e económico.” Em cada evento, estarão presentes cerca de 38 viaturas no local.

Os preços praticados variam muito segundo o conceito. Começam com os preços mais baixos em bebidas e sumos naturais (a partir de 1euro, dependendo da complexidade e ingredientes), passando pelas sobremesas como crepes, waffles, bolas de berlim, gelados a partir de 1,5euro.

As refeições vão dos cachorros quentes, hambúrgueres, kebabs, bifanas, sandes e outros já mais conhecidos como wraps, Pizzas em cone, Bagels e Sushi que marcam pela diferença, com preços que podem dos 3euro aos 6euro.

É sua intenção é também “democratizar e tornar acessível a gastronomia de street food, através de uma oferta com um formato urbano, acessível, sustentável, variado, em que as questões da qualidade e segurança alimentar são uma prioridade, evitando comparações com os conceitos do passado”, remata.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Facebook's founder and CEO Mark Zuckerberg reacts as he speaks at the Viva Tech start-up and technology summit in Paris, France, May 24, 2018. REUTERS/Charles Platiau - RC11ABE16B10

Abusos nos dados privados pode custar ao Facebook entre 3 a 5 mil milhões

Foto: Global Imagens

Jovens licenciados portugueses com maior probabilidade de terem salários baixos

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa,  intervem durante a sessão solene comemorativa dos 45 anos da Revolução de 25 de Abril na Assembleia da República em Lisboa, 25 de abril de 2019. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Presidente da República pede “mais ambição” para resolver problemas

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Há festivais para tudo. Agora até para comida de rua