Tecnologia

Hitachi. Uma voz portuguesa para pedir pizas em Inglaterra

Paulo Valério é o diretor da Hitachi Consulting em Portugal. (Foto: DR)
Paulo Valério é o diretor da Hitachi Consulting em Portugal. (Foto: DR)

Equipa nacional da consultora criou um sistema de encomendas por voz que funciona através da página na Internet ou com assistentes pessoais.

Portugal está a ajudar os britânicos com menos acessibilidades a encomendar uma piza através da Domino’s. A equipa portuguesa da Hitachi Consulting desenvolveu duas soluções em que basta a voz para pedir pizas como a Cura Desgostos ou a Mata-Ressacas através do computador ou dos assistentes por voz. Este é o primeiro projeto desta consultora num mercado que vale 212 mil milhões de libras (235,2 mil milhões de euros) e que pode contribuir para mais inclusão social, sobretudo junto dos idosos.

A encomenda por voz através do computador é o projeto mais recente da parceria entre as duas empresas: “Um consultor lembrou-se de tentar interagir com o site da Domino’s através da voz, de forma a dar uma nova funcionalidade ao portal. A pessoa pode falar com o site e fazer o seu processo de compra. É um assistente por voz incluído no browser”, explica Paulo Valério, diretor da Hitachi Consulting em Portugal.

O processo é simples: a pessoa olha para as pizas, diz ao site qual o produto que escolhe e depois dá os dados para pagar a encomenda. A Hitachi garante que os dados não são retidos e que este sistema apenas transforma a voz em texto.

Esta demonstração foi iniciada em agosto do ano passado e “implicou um esforço extra” da equipa da Hitachi Portugal que trabalha para a Domino’s Pizza. Além da compra pelo portal da empresa, os clientes também podem fazer as encomendas com a solução desenvolvida para as assistentes pessoais Alexa (Amazon) e Google Home. Hitachi Portugal e Domino’s Pizza são empresas parceiras há mais de dois anos e têm 22 pessoas envolvidas nestes projetos.

O trabalho da consultora na área da voz também se estende a outro tipo de empresas, como bancos ou seguradoras. Os assistentes pessoais podem servir para linhas de apoio ao cliente: “Se fizer uma queixa e quiser saber em que estado está, em vez de ligar para um agente posso saber essa informação através de um chat. Atualmente, há bots [sistemas de resposta automática] que funcionam pelo telefone e que nós nem sabemos.

Além desta pizaria, a consultora japonesa em Portugal está a desenvolver projetos com outros clientes para o mercado espanhol. Instalada em Portugal desde 2006, a Hitachi Consulting , considerada uma das dez maiores consultoras do mundo, tem reforçado a aposta em Portugal nos últimos anos. Até final do ano, espera chegar às 200 pessoas, praticamente o dobro da equipa que iniciou 2018; e no ano passado escolheu Lisboa para instalar o centro de video intelligence, que analisa as imagens recolhidas por vários dispositivos e dar suporte a toda a região EMEA (Europa, Médio Oriente e África).

O crescimento da Hitachi em Portugal não vai ficar por aqui e é possível que a consultora abra novos escritórios noutras zonas do país. “Lisboa vai continuar a ser um centro importante para nós, mas na nossa estratégia de crescimento também temos de considerar outros pontos do país. Não só pela capacidade mas pela massa crítica das pessoas. É um projeto a longo prazo”, assegura.

Apenas desta forma a consultora japonesa poderá chegar aos mil trabalhadores em 2020.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Finanças cortam 11% na verba para descongelar carreiras em 2019

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte REUTERS/Alessandro Bianchi

Itália não cede a Bruxelas e mantém orçamento

Fotografia: JOSÉ COELHO/LUSA

Vieira da Silva admite que 600 euros são “ponto de partida”

Outros conteúdos GMG
Hitachi. Uma voz portuguesa para pedir pizas em Inglaterra