wearable

Huawei entra no mundo dos wearables

Ainda não foram anunciados preços
Ainda não foram anunciados preços

A Huawei anunciou a sua entrada no mundo dos wearables esta segunda-feira, durante o Mobile World Congress, a decorrer em Barcelona. Além dos relógios, pulseiras e auriculares Bluetooth, a fabricante chinesa apresentou também um phablet.

A ideia da tecnológica chinesa é que o Huawei Watch seja o mais personalizável do mercado. Os utilizadores podem personalizar tanto software como hardware e o dispositivo está disponível em outro, prateado e preto e tem cinco opções diferentes para a bracelete. O Huawei Watch vem equipado com ecrã Amoled, de 1.4 polegadas, e conta com sistema operativo Android Wear.

Como a maioria dos relógios inteligentes, a aposta na saúde é uma constante e o Huawei permite monitorizar a frequência cardíaca ou controlar o desempenho físico, através do Google Fit. Vem com processador da Qualcomm de 1,2 GHz, 4 GB de armazenamento interno e 512 MB de memória.

O relógio chegará ao mercado até ao final do primeiro semestre deste ano, não tendo sido ainda anunciado qualquer preço.

A TalkBand B2 foi outro dos wearables lançados pela Huawei. É um cruzamento entre auricular Bluetooth e pulseira desportiva e vem equipada com dois microfones e tecnologia de redução de ruído, permitindo enviar áudio para o smartphone. Estará disponível em preto, prateado e dourado.

O phablet, o MediaPad X2, com 7,28 milímetros de espessura e ecrã de 7 polegadas, estará disponível em versão de 2 GB de RAM e 16 GB de RAM, ou 3 GB de RAM e 32 GB de ROM. Ambos os modelos serão Dual SIM e contam com processador 2.0 GHz Kirin 930 ultra-octa.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Huawei entra no mundo dos wearables