IDC analisa guerra entre Apple e Samsung

Francisco Jerónimo, do research da IDC
Francisco Jerónimo, do research da IDC

A empresa, IDC, que anunciou que as vendas dos telemóveis em Portugal,
no segundo trimestre de 2012, caíram 21%, totalizando 1,08 milhões
de unidades, analisa agora a guerra Apple vs Samsung. Veja mais.

“A Apple e, particularmente, Steve Jobs
enquanto CEO, foram sempre muito críticos do sistema operativo
Android, acusando a Google de ter copiado o iOS. Para defender a
propriedade intelectual, a Apple tem vindo a processar judicialmente
os fabricantes que utilizam a plataforma Android. O objetivo é
evitar o lançamento de mais produtos Android – líder mundial no
segmento de smartphones -, retirar do mercado os telefones que mais
contribuem para o crescimento deste sistema operativo, protegendo o
valor maior da Apple, a experiência de utilização e design.

O forte crescimento das vendas da
Samsung e a entrada no segmento dos tablets não deixou a Apple
indiferente. Especialmente porque um dos seus principais concorrentes
se torna líder de mercado com produtos que, na opinião da Apple e
agora de um tribunal americano, são cópias dos seus.

A decisão do tribunal foi uma vitória
significativa para a Apple, com repercussões no futuro do mercado
dos smartphones, mas não necessariamente na Samsung. Com exceção
do custo financeiro, o impacto no futuro da Samsung é irrelevante,
face à atual posição no mercado da empresa. Em primeiro lugar,
apesar do risco de retirar alguns produtos do mercado americano,
estamos a referir-nos a telefones que já estão em fim de vida e que
iriam sair do mercado de qualquer forma. Em segundo lugar, os novos
produtos previstos para lançamento podem facilmente ser alterados,
contornando as patentes da Apple. Não está em causa a alteração
radical de hardware que leve a redesenhar os produtos de raiz, mas o
design no user interface.

A principal consequência deste
veredicto vai repercutir-se no mercado dos smartphones. Neste
momento, os principais fabricantes que utilizam o sistema operativo
Android questionam-se sobre a possibilidade da Apple reforçar ou
abrir novos processos judiciais. Uma perda de montantes semelhantes
teria consequências financeiras desastrosas em pequenas empresas
como a HTC, Sony, Motorola. Mesmo que cheguem a acordo com a Apple e
passem a pagar uma licença pela utilização das patentes isso
representará um custo adicional no preço final dos produtos. Ao que
acresce o pagamento das licenças que todos os fabricantes já pagam,
ironicamente à Microsoft, para que serviços como o ActivSync possam
estar disponíveis nos telefones Android.

Os próprios operadores vão passar a
analisar cuidadosamente o lançamento de produtos Android, pois não
podem arriscar que, por ordem judicial, estes sejam retirados do
mercado em períodos críticos de vendas, como no quadra natalícia.
2

Futuramente, no topo das prioridades
dos fabricantes Android está o investimento em plataformas que
diminuam o risco de dependência quase exclusivo da Google. Na minha
opinião, não será surpreendente se os operadores vierem a pedir
garantias de compensação financeira aos fabricantes se os produtos
do seu portefólio forem afetados. Em paralelo, também se antevê o
lançamento de novos telefones noutras plataformas para reduzir o
risco de dependência da Apple e Google.

O resultado judicial do caso Apple vs.
Samsung foi o pontapé de saída para que os principais fabricantes
acelerassem o lançamento de produtos em novas plataformas,
nomeadamente o Windows Phone da Microsoft. Na verdade, a vontade, os
planos e o investimento já existiam em torno do Windows Phone, mas a
baixa quota de mercado e o desconhecimento por parte dos consumidores
dos benefícios da plataforma não eram suficientemente atrativos.
Por outro lado, as marcas estavam também a aproveitar o investimento
da Nokia no OS para conseguir tirar partido na altura certa. Agora
estes planos passam a ser prioritários, com vista a evitar custos
maiores no futuro.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
(Photo by Tobias SCHWARZ / AFP)

Tribunal suspende construção da Gigafactory da Tesla na Alemanha

A 89ª edição da Micam decorre em Milão de 16 a 19 de fereveiro. Fotografia: Direitos Reservados

Calçado quer duplicar exportações para o Japão em dois anos

Micam

Governo promete “soluções criativas” para ajudar as empresas

IDC analisa guerra entre Apple e Samsung