CES 2017

Intel vai lançar óculos de realidade mista no outono

A Intel tinha revelado o Project Alloy no IDF, durante o verão do ano passado
A Intel tinha revelado o Project Alloy no IDF, durante o verão do ano passado

Fabricante de processadores dedicou conferência na CES 2017 à realidade virtual, enquanto a Samsung fez um “mea culpa” pelo desastre do Galaxy Note 7.

Numa das conferências mais concorridas e originais deste CES 2017, que abre hoje as portas da exposição, a Intel anunciou que os seus óculos de realidade mista serão lançados no quarto trimestre do ano. Ainda com o nome de código “Project Alloy”, os óculos permitem misturar a realidade virtual com o cenário físico em que o utilizador está. É uma convergência de realidade virtual e aumentada, que a Intel manterá como plataforma aberta para que fabricantes e programadores apostem no sistema.

“A realidade mista é quando vocês não precisam de estar ligados a nada, sem fios, e conseguem interagir com o mundo real e virtual de forma transparente”, declarou o CEO da Intel, Brian Krzanich, na conferência. No ano passado, o executivo tinha tido as honras da keynote de abertura, mas nesta edição esse lugar foi dado à Nvidia – que revelou uma parceria com a Audi para lançar um carro autónomo de nível 3 já em 2017.

O Alloy tem a vantagem de não precisar de se ligar a um computador ou consola: todo o poder de processamento já está lá dentro. “Acreditamos que o futuro da realidade virtual está aqui e as possibilidades são infinitas para o que o Project Alloy pode fazer”, defendeu Krzanich. O palco transformou-se momentaneamente numa sala de estar onde dois jogadores exemplificaram uma das aplicações do Alloy: os obstáculos físicos no mundo real tornaram-se em objetos dentro do mundo virtual. Por exemplo, o sofá passou a ser um bunker. “A sala agora entra na experiência de jogo”, explicou o executivo, notando que os jogadores conseguem ver-se um ao outro.

Na sessão, os jornalistas também receberam um computador e um exemplar do Oculus Rift para testarem novas experiências de realidade virtual que estão a ser desenhadas pela Intel. Uma delas foi a sensação de voar sobre o deserto no Utah, outra inspecionar painéis solares e outra assistir a um jogo de basquetebol em direto – Krzanich gosta de correr riscos nas conferências, e normalmente corre bem.

O desporto é um dos grandes focos da empresa, que recentemente assinou uma parceria com a La Liga para instalar tecnologia da Voke (startup que adquiriu) em três estádios. Os sistemas irão permitir aos espectadores com óculos de realidade virtual escolherem o ponto de vista no estádio e que estatísticas querem ver. “Vemos aqui o futuro: ver o jogo no lugar que quiser, escolher a experiência que deseja.” A tecnologia Voke VR vai estar disponível para Rift no final do ano, com “muitos conteúdos” já prometidos.

Mea culpa da Samsung

Umas horas antes da Intel, a Samsung enfrentou a imprensa numa que é sempre uma conferência muito cobiçada. O presidente da Samsung Electronics America, Tim Baxter, começou logo por abordar o problema, embora não tenha referido o Galaxy Note 7 especificamente. “Este foi um ano desafiante para a Samsung”, disse, pedindo desculpa aos utilizadores que foram pessoalmente afetados pelos smartphones com baterias defeituosas, que se incendiavam ou deitavam fumo. “Continuamos com os nossos intensos esforços para compreender o que se passou e garantir que não acontecerá novamente”, prometeu. Os resultados da investigação serão revelados em breve, adiantou. “Não parámos nem vamos parar de inovar. Estamos a refletir e estamos a ouvir-vos”, sublinhou Baxter.

Quanto a novos produtos, destaque para os portáteis Chromebook Plus e Chromebook Pro, cujo design faz lembrar um MacBook e que são uma resposta ao sucesso do iPad Pro da Apple. A vice presidente executiva Alana Cotton também revelou o Notebook Odyssey, uma aposta em computadores para videojogos que parece interessante, mas não tem o mesmo fator “uau” do Predator que a Acer lançou no dia anterior.

Não podia faltar uma televisão ultra avançada no alinhamento: desta vez é a QLED TV. “Tem a experiência de visualização perfeita, em termos de cor, contraste, qualidade”, descreveu Joe Stinziano, vice presidente da Samsung Electronics America. E como a CES é uma feira de eletrónica de consumo, foi com pompa que a marca apresentou a nova máquina de lavar e secar roupa, Flex Wash + Flex Dry, com quatro compartimentos diferentes para poder, por exemplo, lavar roupa branca e de cores ao mesmo tempo.

A Samsung apresentou ainda o frigorífico Family Hub 2.0, que adiciona controlos de voz às funcionalidades da primeira versão. De resto, semelhante ao que a LG Electronics já tinha apresentado de manhã, quando revelou uma parceria com a Amazon para pôr o assistente digital Alexa no seu novo frigorífico Smart InstaView.

A CES 2017 abre hoje à indústria e decorre até domingo, em Las Vegas.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Nacho Doce/Reuters

Obrigações. Lesados da PT Finance vão processar bancos

Mario Draghi

BCE mantém taxas de juro e programa de compra de ativos inalterados

Rosa Cullel, CEO da Media Capital

Dona da TVI com lucros de 1,9 milhões até março

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Intel vai lançar óculos de realidade mista no outono