Já é possível fazer um seguro contra ataques de cibercrime na empresa

Abriram mais empresas em agosto

A seguradora norte-americana AIG está a promover em Portugal um novo seguro, que permite dar cobertura aos riscos de ciberataques às empresas e a outros problemas que podem surgir online.

O seguro chama-se CyberEdge e cobre fugas de dados confidenciais, pirataria informática, ‘dumpster
diving’, vírus informáticos, sabotagem ou erro de colaboradores,
furto de informação e roubo de identidade.

Existe mesmo um módulo que cobre a chamada “ciber extorsão”, isto é, chantagem para extorquir dinheiro ou outros valores sob ameaça de um ataque pirata ao sistema informático da empresa.

A AIG promete “investigação
informática forense para determinar as causas de uma ocorrência”, entre outras funcionalidades, tais como a gestão de crise em casos que danifiquem a reputação.

Várias empresas de segurança, como a Kaspersky Lab e a Symantec, têm alertado para os perigos crescentes de fuga de informação das empresas e ataques com recurso, por exemplo, a engenharia social.

No último relatório que divulgou, a Kaspersky Lab indica que o número de vítimas de ataques de ‘phsihing’ disparou 87% nos últimos doze meses. Estes ataques não recorrem à disseminação de vírus, mas sim ao engano da vítima com a falsificação de sites legítimos, tais como Facebook ou Yahoo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Ana Catarina Mendes, líder parlamentar do PS. Fotografia:  Pedro Rocha / Global Imagens

PS quer acabar com vistos gold em Lisboa e no Porto

O ministro das Finanças, Mario Centeno. Fotografia ANDRÉ KOSTERS/LUSA

Finanças. Défice foi de 599 milhões de euros em 2019

João Paulo Correia, deputado do PS. MÁRIO CRUZ/LUSA

PS avança com aumento extra das pensões mas a partir de agosto

Já é possível fazer um seguro contra ataques de cibercrime na empresa