smartphone

Lembra-se do smartphone de 3 euros? Esgotou em poucas horas

Freedom-251-1024x722

A Ringing Bells foi fundada em 2015 e é considerada uma das fabricantes de smartphones com mais rápido crescimento da Índia

A procura superou a oferta e o portal da Ringing Bells não aguentou. O site onde se podia comprar o smartphone Freedom 251 por três euros não aguentou as 600 mil visitas por segundo e bloqueou.

E não foi preciso muito tempo. Segundo a BBC, pouco depois de o telemóvel ser posto à venda as visitas online dispararam e o site da companhia indiana não estava preparado para receber tanto trafego.

Para quem queria e não conseguiu encomendar seguem-se as más notícias: a Ringing Bell não vai aceitar mais encomendas do smartphone lançado na quarta-feira passada.

O Freedom 251 tem um sistema operativo Android 5.1 Lollipop, um monitor de 4 polegadas, um processador quad-core 1,3 GHz, 8GB de armazenamento, uma câmara de 3,2 megapixel e um ano de garantia. E custa 251 rupias – que é como quem diz 3,28 euros.

Qual é o segredo para ter um produto tão barato? Subsídios, muitos subsídios do Governo local, liderado por Narendra Modi. “O que sabemos por agora é que este telemóvel está a ser altamente subsidiado”, admite o analista Tarun Pathak, da consultora Counterpoint Research, ao portal Quartz.

“Tanto quanto sabemos, o smartphone mais barato na Índia custa 28 dólares [25 euros] e, olhando para os preços dos componentes, este telemóvel está certamente a ser apoiado pelo Governo”, completa o mesmo responsável.

Este smartphone deverá estar a ser financiado, então, ao abrigo do programa “Make in India“, lançado em setembro de 2014 para apoiar a produção local.

O Freedom 251 “vai capacitar os cidadãos, mesmo os que estão nos locais mais remotos da Índia, com as últimas novidades em tecnologia e por preços incrivelmente baratos”, refere a fabricante, Ringing Bells, no seu portal.

A Ringing Bells foi fundada em 2015 e é considerada uma das fabricantes de smartphones com mais rápido crescimento da Índia.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa, Portugal 2

Endividamento das famílias atinge máximo de três anos

Carlos Gomes da Silva, CEO da Galp Energia.

Galp aposta na transição energética e investe 1,2 mil milhões por ano até 2020

(Carlos Santos/Global Imagens)

TDT. Anacom arranca com call center em novembro para teste piloto

Outros conteúdos GMG
Lembra-se do smartphone de 3 euros? Esgotou em poucas horas