Luís Simões: Marcas de distribuição terão quota de 41,2% em 2015

Os hipermercados vão ganhar quota de mercado e o peso das marcas de distribuição vão crescer no mercado português, prevê Luís Simões, managing director da Kantar Worldpanel Iberia.

Até 2015, diz o responsável da empresa de estudos de mercado, a quota das marcas de distribuição deverá crescer dos atuais 36,7% em 2011, para fixar-se nos 41,2%. Os hipermercados também irão subir o seu peso no sector de distribuição, para 71,8%, bem como as cadeias de discount (para 16,4%), apenas o comércio tradicional deverá ver reduzida a sua quota de mercado.

O responsável da empresa de estudos de mercado traçou um cenário em que apesar da crise a grande distribuição deverá demonstrar capacidade de resistir, mantendo os seus volumes de negócio. Contudo, os consumidores deverão revelar comportamentos de compra distintos. A categoria alimentar deverá manter-se em termos de compras, os produtos frescos deverá crescer 0,1%, os de limpeza cair 0,3% e os produtos de limpeza aumentar as vendas em 0,5%, graças ao chamado ‘lipstick effect’, diz, numa referência ao fato de em períodos de crise haver, por norma, da parte dos consumidores uma maior preocupação com o cuidado pessoal.

Com target sénior é um público a ter em quota pela moderna distribuição. Em quatro anos, revela, o mesmo será responsável por 30% das compras no mercado europeu. O mesmo, prevê o responsável da Kantar Worldpanel, com base num estudo realizado junto a 16 mil consumidores europeus, querem processos de compra mais fáceis e menos stressantes, levantando aqui também oportunidades de criação de oferta específica para este target.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Greve de motoristas de matérias perigosas parou o país, em abril. 
(MÁRIO CRUZ/LUSA

Nova greve dos camionistas dia 12. Pré-aviso já foi entregue

Assunção Cristas e Bruno Bobone, na sede da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, nos Restauradores
(ANTÓNIO COTRIM/LUSA)

Cristas apela a empresários para darem mais força à oposição

Assunção Cristas e Bruno Bobone, na sede da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, nos Restauradores
(ANTÓNIO COTRIM/LUSA)

Cristas apela a empresários para darem mais força à oposição

Outros conteúdos GMG
Luís Simões: Marcas de distribuição terão quota de 41,2% em 2015