Metro de Lisboa aceita campanhas “com raparigas semidespidas”. Se apelar a encontros sexuais, não

A publicidade da Manhunt
A publicidade da Manhunt

O Metro de Lisboa vetou a campanha da rede social para encontros dirigida ao segmento gay, Manhunt, por considerar que a mesma podia ferir “suscetibilidades”.

O Metro de Lisboa justifica a decisão. A empresa “não autorizou a campanha no âmbito de uma orientação genérica vigente na empresa de não aceitar publicidade que não se coadune com a imagem de um serviço público, que se dirige a uma multiplicidade de clientes, com sensibilidades várias, sendo passível de ferir suscetibilidades”, diz, fonte oficial. Isto, “independentemente da orientação sexual do respetivo público-alvo”, frisa a empresa

O Metro de Lisboa decide sobre quais as campanhas que podem ou não ferir suscetibilidades em “função da imagem e da mensagem”. Então campanhas de marcas de lingerie ou de revistas masculinas que apresentam raparigas semidespidas, atualmente presentes na rede, não poderão ferir igualmente suscetibilidades? O Metro de Lisboa responde. “As campanhas aceites e que refere ‘com raparigas semidespidas’ têm um teor que não apela a encontros sexuais e que, presentemente, está banalizado na comunicação publicitária, tendo sido considerado que não feririam suscetibilidades”, diz. E clarifica. “O que está em questão é o que se pretende publicitar e não a quem se dirige.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (D), durante o debate parlamentar de discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), esta tarde na Assembleia da República, em Lisboa, 09 de janeiro de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Subida do PIB em 2019 chega aos 2,2% com revisão nas exportações de serviços

GSFJ0097

Novo Banco com prejuízos de mais de 1.058 milhões de euros

O ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (E), ladeado pelo presidente da Comissão de Orçamento e Finanças, Filipe Neto Brandão (D) na audição na Comissão de Orçamento e Finanças. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Orçamento do Estado quase pronto para seguir para Belém

Metro de Lisboa aceita campanhas “com raparigas semidespidas”. Se apelar a encontros sexuais, não