Musical Covers. És coverista? Esta plataforma é para ti

Plataforma nasceu em 2013
Musical Covers poderá transformar-se num negócio."> Plataforma nasceu em 2013

Começou a "partir de uma brincadeira", mas mil músicos registados e cerca de 70 mil fãs depois a Musical Covers poderá transformar-se num negócio.

O projeto, conta o fundador Luís Marques, começou como uma espécie de blogue onde o então estudante de programação “publicava covers de qualidade que encontrava pelo YouTube”. Mas, “todos os dias” recebia pedidos de cover artists a pedir para publicar as suas versões de temas conhecidos e quem sabe conseguir, deste modo, chegar ao estrelato como artistas como Mia Rose ou Ana Free.

Leia também: Ana Free e Mia Rose. YouTube tornou-as famosas

O ano passado nasceu a Musical Covers, uma plataforma de artistas que funciona como uma “rede social”. “Os artistas podem aceder à plataforma efectuando apenas o registo. Não existe qualquer seleção. Todos os artistas têm direito ao seu espaço, porém só os melhores covers obtêm o destaque merecido no Facebook”, diz Luís Marques.

Os cerca de mil artistas registados mil artistas, com perto de 3 mil covers, têm aqui acesso a um público que já ronda os 70 mil seguidores na rede social.

“Para já o modelo de negócio é
a publicidade”, diz Luís Marques. “Neste momento não está perto de
ser rentável, mas também não é isso que me motiva a
continuar”, frisa o promotor de Musical Covers que já viu alguns dos artistas que se deram a conhecer na plataforma tentar mais tarde a sua sorte em programas como o The Voice Portugal, Factor X ou Ídolos.

Mas o programador tem planos para garantir a sustentabilidade da Musical Covers. “O que tenho em papel para rentabilizar o projecto não passa
por publicidade, mas pela criação de serviços interligados entre si”, explica, como por exemplo, compra e venda de material musical usado.

E internacionalizar a Musical Covers não está fora dos planos, embora, reconheça, o “YouTube domine por completo este nicho”. “Neste momento, quero que o projeto seja uma verdadeira referência a nível nacional, para depois internacionalizar”.

Este ano Luís Marques foi um dos vencedores dos Prémios Novos, criados por Fernando Alvim. O projeto Musical Covers ganhou na categoria Internet.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Patrick Drahi lidera grupo Altice. Fotografia: Filipe Amorim/Global Imagens

Altice “culpa” demora da decisão dos reguladores para fim do negócio com TVI

Margarida Matos Rosa, presidente da Autoridade da Concorrência

Tiago Petinga/Lusa

Concorrência responde esta semana a requerimento para fim da compra da TVI

Outros conteúdos GMG
Musical Covers. És coverista? Esta plataforma é para ti