Novo Banco. “Marca BES era ativo que era preciso preservar”

BES mudou. Agora é Novo Banco
BES mudou. Agora é Novo Banco

"Trata-se de uma decisão administrativa. Quem pensou no assunto não pensou minimamente na questão da marca. A marca BES é um ativo que era preciso preservar."

A opinião é de Pedro Celeste, especialista em marcas da consultora PC&A, reagindo ao anúncio do surgimento do Novo Banco, entidade que vai reunir os ativos não tóxicos do BES. A marca BES fica com os ativos tóxicos.

A marca Novo Banco, noticiou o Expresso, está registada desde 1989, pelo Millennium BCP. Contactada pelo Dinheiro Vivo, fonte oficial do Millennium bcp não quis comentar.

Leia mais aqui: Operação relâmpago: BES desaparece e nasce Novo Banco

“Se o que se quer valorizar é os bons ativos do BES, os clientes do BES e que a rede de balcões do BES continua a funcionar e que isso não coloca em causa a relação das pessoas com o BES, então deveria ser o banco onde estão os ativos tóxicos a ter um novo nome”, defende o especialista em marcas.

Leia também: Site do BES também já mudou: Novo Banco mais forte e mais seguro

A marca BES tinha boas referências e reputação no mercado, reforça Pedro Celeste. A mudança para um Novo Banco “não foi muito inteligente do ponto de vista de estratégia de marketing. Os clientes que não se indentificam, vão colocar as suas poupanças noutro lado qualquer e esses clientes não se recuperam”, diz.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação do Orçamento do Estado para 2019. 16 de outubro de 2018. REUTERS/Rafael Marchante

Bruxelas envia carta a Centeno a pedir o triplo do esforço orçamental

lisboa-pixabay-335208_960_720-754456de1d29a84aecbd094317d7633af4e579d5

Estrangeiros compraram mais de mil imóveis por mais de meio milhão de euros

João Galamba (secretário de estado da energia) , João Pedro Matos Fernandes (Ministro para transição energética) e António Mexia  (EDP) durante a cerimonia de assinatura de financiamento por parte do Banco Europeu de Investimento (BEI) da Windfloat Atlantic. Um projecto de aproveitamento do movimento eólico no mar ao largo de Viana do Castelo.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Mexia diz que EDP volta a pagar a CESE se governo “cumprir a sua palavra”

Outros conteúdos GMG
Novo Banco. “Marca BES era ativo que era preciso preservar”