digital

O digital é a ferramenta perfeita para angariar fundos

As ferramentas estão disponíveis. O desafio é saber usá-las
As ferramentas estão disponíveis. O desafio é saber usá-las

Ainda antes do virar do milénio, a RNIB, maior instituição britânica de caridade para pessoas invisuais, percebeu que conseguia recrutar quase todos os participantes da Maratona de Londres via online, poupando uma quantidade importante de tempo e dinheiro. Já no ano passado, a campanha #nomakeupselfie conseguiu angariar 8 milhões de libras, em apenas uma semana, para a Cancer Research UK, a maior parte através de doações via SMS.

As ferramentas digitais estão disponíveis, o desafio para estas organizações ou pequenas empresas é saber como usá-las de forma a conseguir angariar a maior quantia de fundos possível, com o menor custo e tempo possíveis.

Howard Lake é especialista em campanhas digitais de angariação de fundos para o sector não lucrativo e esteve no 7º Seminário Fundraising Call to Action, que decorreu esta quarta-feira na Gulbenkian, para partilhar algumas ideias sobre como tirar o máximo partido do digital e dos social media, quando não se tem nem muito tempo, nem muito dinheiro para investir.

“O digital é uma ferramenta de angariação de fundos muito útil, porque é de baixo custo, pode ser utilizada para qualquer tipo de angariação e o seu impacto pode ser facilmente medido, ou seja, percebemos rapidamente o que funciona e o que não funciona”, explica ao Dinheiro Vivo.

O site e o email das empresas, diz o especialista, são as ferramentas mais importantes em que as empresas têm de se focar. “São a única área da web que conseguem controlar e são as ferramentas que permitem angariar o maior montante, ainda mais do que o Facebook, o Twitter, ou outros canais”, diz. Ao mesmo tempo, usar imagens “ajuda a aumentar a eficácia das campanhas e a notoriedade das mensagens transmitidas, alcançando mais pessoas”.

Quando o digital é bem utilizado, as empresas, particularmente as de pequena dimensão, “conseguem encontrar novos investidores e encorajar as pessoas a darem mais, ou a contribuírem de formas diferentes”. Ao mesmo tempo, conseguem “ampliar o impacto de uma campanha”.

A chave para o sucesso é “inspirar as pessoas a partilhar estas mensagens. Um número alargado de apoiantes pode ajudar, mas até um número pequeno pode resultar num impacto válido”, conclui o especialista.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Página inicial

Paulo Macedo presidente executivo da Caixa Geral de Depósitos
(Orlando Almeida / Global Imagens)

Centeno dá bónus de 655.297 euros à administração da CGD

Outros conteúdos GMG
O digital é a ferramenta perfeita para angariar fundos