Hotelaria e Restauração

Pans & Company completa 25 anos

Pans & Company. Fotografia: DR
Pans & Company. Fotografia: DR

Pans & Company nasceu há 25 anos em Espanha para dar um novo alento à tradição das sandes espanholas, hoje está em vários países

Em janeiro de 1991 Pans & Company abriu sua primeira loja, numa tentativa de alterar, mas mantendo as tradicionais sandes espanholas. Atualmente a empresa vende 20 milhões de “baguettes” por ano, e conta com estabelecimentos em diferentes países, entre eles Portugal. A expansão começou em 2003.

De acordo com os dados da Associação Espanhola de Franchisers (AEF), a Pans & Company com com mais de 80 mil lojas franchisadas, que representam uma faturação de mais de cinco mil milhões de euros.

A marca foi evoluindo, e em 2005 renovou a sua proposta gastronómica, que passou a denominar de comida rápida “a la carta”, no entanto manteve a marca bem como o logótipo e toda a imagem associada aos seus estabelecimentos.

“Como qualquer produto, tem visto muitas mudanças Começou como o sanduíche clássico com ingredientes naturais, frescos, finalmente, tornou-se mais sofisticada, mantendo as receitas clássicas e pão duro como sempre, mas incluindo mais ingredientes gourmet e mais valioso adicionados “, explica Jesús Muñoz elmundo.es, diretor de marketing Eat Out.

Se há duas décadas o sanduíche era o rei de fast food, os menus versão mais saudável contra McDonalds ou Burger King, agora tem de competir com as cadeias de hambúrgueres saudáveis, o kebab ou franquias gourmet sanduíches.

Muñoz, lembra que na década de 90, os vegetais baguetes ou frango assado representava uma revolução. Mas ao longo dos anos, o sanduíche tem evoluído, tem crescido: pão com salsicha foi ofuscada por sua versão mais saudável e sofisticado: o pão de centeio ou sementes, recheada com legumes, abacate, peru.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Pans & Company completa 25 anos