Pedro Albuquerque sobre a imagem da Sumol. “Desde que não mudem o sabor do Sumol de ananás”

ng4178988

"Sentes?" é a nova assinatura da portuguesa Sumol que acaba de apresentar uma nova imagem ao mercado.

A nova identidade, desenvolvida pela agência britânica Bluemarlin, tem um estilo inspirado na Street Art “transmite movimento, energia, dinamismo e atitude”, promete a Sumol, embora mantendo as cores da marca, o verde e o vermelho.

“Uma nova imagem que interpela os fãs a viver o espírito irreverente da marca e a sentir o seu efeito contagiante, baseado na experiência única e vibrante de beber Sumol”, diz a marca, que na assinatura pergunta “Sentes?”.

Pedro Albuquerque, criador de marcas e fundador do atelier de design Albuquerque Designing Business, revela ao Dinheiro Vivo o que sente com a nova identidade da marca com mais de 60 anos.

2

Leia o artigo na íntegra aqui:

“Props para a SUMOL

A SUMOL é uma marca de tal forma consolidada que se dá ao luxo de ter um problema crónico de identidade: Não reconhecer que é uma marca popular, de todas as idades, do piquenique, da praia e da esplanada, uma bebida sem álcool e sem cafeína, uma marca com história. Que mal há em ser assim? Existem várias linguagens estéticas para traduzir isto, e sobretudo uma origem iconográfica de marca suficientemente rica para permitir vários tipos de evolução contemporânea. Em vez disso, luta por parecer o que não é: cool, radical, e agora também, street art (de gosto duvidoso). Este caso fez-me lembrar o rebranding do Pingo Doce com o seu logo escrito a giz (mal imitado) a querer parecer mercearia de bairro. Pobres as marcas que querem ser o que não são, que escolhem ser influenciadas em vez de ser influência, que preferem seguir as tendências em vez de ser tendência.

A visão simplista sobre o posicionamento das marcas é como num tabuleiro de xadrez quando mudamos de casa sem prever que vamos ser comidos. Começa a ser epidémico tantas marcas portuguesas de referência a deitarem o seu património iconográfico para o lixo optando por soluções de rebranding a soar a falso.

Há uns anos atrás, no rebranding do Nicola Cafés, perdemos o concurso, logo na fase de estratégia, ao defender a permanência do Bocage como símbolo. Nem chegámos à fase do logótipo, viemos embora com o poeta, fiéis ao que considerámos ser o ideal para a marca. Tal como aconteceu com o Bocage, dispensaram o boémio Gato das Botas do vinho Gatão, tão carismático e coerente com o espírito do produto, e em seu lugar apareceu um manso “Gatinho” verde… Sorte para o Gato das Botas que mais tarde foi convidado para o filme do Shrek e ficou rico. Já o Homem da Capa Negra da Sandeman, esse grande personagem de recorte elegante a contraluz, (equiparável ao iconográfico Touro de Osborne em Espanha) deixou de ser um ícone para passar a ser uma mera ilustração, que perda de estatuto!

Uma boa parte destes rebrandings são importados e, mais uma vez, o do SUMOL não foi excepção (Bluemarlin). O problema não está na importação, o mercado é global, mas sim, no facto de já serem muitos os casos em que o design importado é mau.

SENTIMO-NOS com azar?

Para já, desde que não mudem o sabor do SUMOL de ananás, tudo bem!”

(o designer escreve com a antiga ortografia)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação do Orçamento do Estado para 2019. 16 de outubro de 2018. REUTERS/Rafael Marchante

Bruxelas envia carta a Centeno a pedir o triplo do esforço orçamental

lisboa-pixabay-335208_960_720-754456de1d29a84aecbd094317d7633af4e579d5

Estrangeiros compraram mais de mil imóveis por mais de meio milhão de euros

João Galamba (secretário de estado da energia) , João Pedro Matos Fernandes (Ministro para transição energética) e António Mexia  (EDP) durante a cerimonia de assinatura de financiamento por parte do Banco Europeu de Investimento (BEI) da Windfloat Atlantic. Um projecto de aproveitamento do movimento eólico no mar ao largo de Viana do Castelo.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Mexia diz que EDP volta a pagar a CESE se governo “cumprir a sua palavra”

Outros conteúdos GMG
Pedro Albuquerque sobre a imagem da Sumol. “Desde que não mudem o sabor do Sumol de ananás”