Petição a favor de Sócrates na RTP passa 5 mil

José Sócrates
José Sócrates

Um grupo de mais de 5 mil pessoas (dia 22, às 16h) está a promover na Internet uma petição a
favor da presença do ex-primeiro-ministro José Sócrates como comentador
político na RTP.

Esta petição, que pode ser vista aqui, surge em resposta a uma petição contra o ex-líder socialista.

A petição online a favor de José Sócrates é dirigida ao Parlamento e começou a circular hoje a partir das 13h30.

“Somos um grupo de cidadãos que constatam que as reações em relação à presença do engenheiro José Sócrates como comentador da RTP demonstram que ele marcou a vida política portuguesa dos últimos anos. O balanço da sua governação, positivo ou negativo, depende da avaliação de cada um e do que valoriza em cada prato da balança, houve atitude, obra feita, houve erros mas também muitos benefícios”, sustentam os subscritores a favor do ex-primeiro-ministro.

Os cidadãos a favor da presença de Sócrates na RTP alegam ainda que Portugal é um “Estado democrático e de Direito com um princípio fundamental basilar desse mesmo Estado: O princípio do contraditório, o princípio da defesa quer do bom nome, quer das opções tomadas”.

“Acreditamos que vivemos num Estado Democrático, cujos valores devem ser defendidos e praticados, e em verdadeira democracia e liberdade a afirmação de Voltaire é mais atual que nunca: ‘Posso não concordar com uma só palavra sua, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-la’. Por tudo isto nós somos a favor da presença de Sócrates na RTP”, lê-se no texto da petição.

De acordo com a lei, qualquer petição online com pelo menos 4.000 assinaturas tem de ser apreciada em plenário da Assembleia da República.

Já os subscritores da petição contra o ex-líder socialista afirmam no texto recusar “a presença do ex-primeiro-ministro José Sócrates em qualquer programa da RTP”, alegando que se trata de uma televisão paga com dinheiros públicos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Angel Gurría, secretário-geral da OCDE, e Pedro Siza Vieira, ministro da Economia. Fotografia: Diana Quintela/ Global Imagens

Fosso entre custo das casas e rendimento tem maior agravamento da OCDE

Angel Gurría, secretário-geral da OCDE, e Pedro Siza Vieira, ministro da Economia. Fotografia: Diana Quintela/ Global Imagens

Fosso entre custo das casas e rendimento tem maior agravamento da OCDE

JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Eleições europeias: 11,56% dos eleitores votaram até ao meio-dia

Outros conteúdos GMG
Petição a favor de Sócrates na RTP passa 5 mil