Sagres põe Paulo Bento a dar táctica para unir os portugueses à Seleção

Campanha para o Mundial arranca hoje
Campanha para o Mundial arranca hoje

A Sagres quer unir os portugueses em torno da Seleção no Mundial de futebol e para isso foi buscar Paulo Bento para dar, mais uma vez, a cara pela campanha da marca para a Copa.

Na sede da Federação Nacional de Futebol, o Selecionador Nacional revelou as tácticas de jogo: “onde quer que estejam puxem por nós”, “orgulhem-se das nossas cores, cubram tudo de vermelho e verde”, “não vejam os jogos sozinhos”, “nunca duvidem do onze inicial” e, sobretudo, “acreditem até ao último segundo”.

As tácticas enumeradas por Paulo Bento fazem parte do copy/mensagem de “Somos Seleção. Somos Portugal” para o Mundial. A campanha tem criatividade da BAR, mas adianta Diogo Anahory, diretor criativo, a intervenção de Paulo Bento não se restringiu à sua participação no anúncio. O Selecionador Nacional também teve mão na campanha e vai ter direito a ter o nome na ficha técnica do anúncio, revela.

Leia também: Sagres renova patrocínio à Seleção por mais 3 anos

“Partimos da ideia de que as tácticas só se dão aos jogadores, porque não então colocar o treinador a dar as tácticas aos portugueses? O Paulo Bento é aqui o líder natural para dar as tácticas não só aos 10 milhões que vivem cá, como aos milhões que vivem lá fora”, diz Anahory.

Com produção da Krypton e realização de Augusto Fraga, “Somos Seleção. Somos Portugal” foi filmado em vários locais do País, inclusive Sagres. “Pela sua importância simbólica. Foi daqui que partimos há 500 anos para o Brasil, numa lógica de regressar a essas conquistas”, justifica o responsável criativo, juntamente com José Carlos Bomtempo.

Além da campanha multimeios, a Sagres desenvolveu uma ação para premiar as melhores tácticas dos portugueses de apoio à Seleção. As 50 melhores serão premiadas com uma viagem para o Brasil, num avião exclusivo fretado pela marca, com tudo incluído e bilhete para o Jogo Portugal x Alemanha, em Salvador da Baía, no dia 16 de junho. As participações decorrem até 30 de abril, tendo os consumidores de apresentar um código disponível nos packs Sagres.

Fim do name sponsoring da Liga não reduz investimento da Sagres no futebol

“Somos Seleção. Somos Portugal” é a primeira campanha das marcas patrocinadoras da Seleção Nacional a arrancar. Nuno Pinto Magalhães, diretor de comunicação e relações institucionais da Central de Cervejas, não revela, no entanto, qual o valor de investimento da cervejeira para dinamizar o patrocínio da marca à Seleção, que apoia desde 1993.

A Sagres, diz, investe anualmente 12 milhões de euros no tema futebol, valor que inclui o apoio à Seleção, aos clubes e à Liga de Futebol, competição que a Sagres dá nome com a Zon até ao final da época. Finda a época a Sagres passa a ser apenas cerveja oficial. Mas, frisa Nuno Pinto Magalhães o bolo de investimento da marca no futebol não vai diminuir. O bolo passará a ser reinvestido em outras ações, nomeadamente, de ativação junto dos consumidores em torno do território futebol.

Nuno Pinto Magalhães não adianta igualmente números no que toca ao impacto que a empresa antecipa em termos de vendas. Este, lembra, é um ano marcado pelo futebol, ano de Mundial (ao qual a Sagres está ligada através da Seleção) e de Liga de Campeões, cuja final decorre em maio, no Estádio da Luz. Esta última é patrocinada pela Heineken, marca da Central de Cervejas. Haja bom tempo, o responsável da Central de Cervejas acredita que haverá um aumento do consumo de cervejas, “mas nunca comparável ao Euro 2004”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral de Dep—ositos -

Sete dos créditos de risco da CGD tiveram perdas de 100%

Operadores da Groundforce onde a operação da empresa de ‘handling’ Groundforce inclui números como cinco minutos e 400 toneladas, mas também o objetivo de chegar ao fim de 2019 com 3.600 colaboradores, aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, 22 de janeiro de 2018. Para que os aviões estejam no ar, a Groundforce faz toda a assistência em terra, excetuando o fornecimento de comida e de combustível, como resume o presidente executivo da empresa, Paulo Neto Leite, numa visita guiada aos ‘bastidores’ do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Com o aeroporto de Lisboa “no limite”, Groundforce exige à ANA que invista já

(Rui Oliveira / Global Imagens)

Quota de mercado dos carros a gasóleo cai para mínimos de 2003

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Sagres põe Paulo Bento a dar táctica para unir os portugueses à Seleção