publicidade

Top Advertiser GMG tem mais de 20% da receita no digital

O Top Advertiser contou com casa cheia no Olissipo Lapa Palace, em Lisboa
(Gonçalo Villaverde / Global Imagens)
O Top Advertiser contou com casa cheia no Olissipo Lapa Palace, em Lisboa (Gonçalo Villaverde / Global Imagens)

Os 25 maiores anunciantes GMG em 2018 foram premiados num evento que juntou no Lapa Palace as maiores empresas e destacou programa da Santa Casa.

O Global Media Group (GMG) distinguiu os seus 25 maiores anunciantes em 2018, ano em que o investimento publicitário português cresceu 4%, numa cerimónia que reuniu as grandes empresas nacionais no Hotel Olissipo Lapa Palace, em Lisboa.

Na quarta edição do Top Advertiser 2018, realizada nesta semana, coube ao diretor-geral comercial do GMG, Luís Ferreira, apontar alguns indicadores da estratégia comercial do grupo, como o crescimento de 2% nas receitas publicitárias, obtido entre 2015 e 2018. “É um grande resultado”, tendo em conta o cenário de queda continuada de 15% a 20% ao ano, no setor da imprensa, na última década, a elevada exposição do grupo à imprensa e o facto de contrariar a tendência do mercado.”

Luís Ferreira referiu que o digital é, agora, o pilar forte da estratégia, representando já mais de 20% das receitas publicitárias. Uma evolução em linha com a tendência do mercado, já que o investimento publicitário na internet cresceu 21% em 2018, equivalendo a metade do valor investido em televisão, segundo dados da Associação Portuguesa de Anunciantes (APAN).

Por último, Luís Ferreira destacou a relevância crescente do segmento dos projetos especiais, onde cabem as conferências, a ativação de marca e o branded content, que já significam hoje mais de 30% das receitas do grupo que detém o DN, o JN, a TSF e o Dinheiro Vivo, entre outros títulos.

Um exemplo destas parcerias foi destacado, nesta edição Top Advertiser, com o projeto Pessoas e Causas, desenvolvido com a Santa Casa da Misericórdia, que dá voz e rosto às histórias de vida, alteradas pela intervenção solidária daquela instituição.

O provedor da Santa Casa, Edmundo Martinho – numa conversa com o jornalista Paulo Tavares -, fez um “balanço absolutamente positivo destas parcerias, não apenas pela visibilidade do trabalho realizado ao longo do ano mas também porque permite acentuar o escrutínio da nossa atividade, aumentando, por outro lado, a nossa responsabilidade”. E sublinhou que “o importante é que aquilo que fazemos possa dar inspiração a outros e alargar a nossa presença para apoiar mais pessoas”.

Nesse espírito, o presidente do Conselho de Administração do GMG, Daniel Proença de Carvalho, dirigiu-se aos anunciantes garantindo que “tomam uma boa decisão quando promovem as suas marcas nos títulos do grupo”, que se pauta por um “padrão elevado de compromisso com os valores do jornalismo, sem dar abrigo a fake news e onde não se promovem campanhas contra pessoas e instituições, nem agendas demagógicas”. Proença de Carvalho lembrou ainda a aposta do grupo no digital, também para o universo global, através do site Plataforma, orientado para o mercado lusófono, com “enorme potencial de crescimento”.

No rescaldo de um ano de crescimento do investimento publicitário, 2019 promete continuar a tendência, com a Magna (Grupo IPG Media Brands) a estimar um aumento da ordem dos cinco por cento, para a casa dos 640 milhões de euros. “Mas o desafio para os media e anunciantes é complexo, na medida em que as audiências são cada vez mais dispersas e fragmentadas e o posicionamento face à publicidade é muito negativo, com 11% dos portugueses a terem já adblockers”, diz a secretária-geral da APAN, Manuela Botelho. A constante recolha de dados que permita fazer o ajustamento do media mix dos anunciantes, em função do segmento pretendido, é assim uma prioridade do setor, acrescenta a responsável.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Miguel Gil Mata,  presidente executivo, da Sonae Capital, nos estúdios da TSF.
Foto: Reinaldo Rodrigues/Global Imagens

Sonae reduz portefólio Imobiliário e investe em Energia

Fotografia: DR

Elliott quer EDP nas renováveis. Mas tem forçado vendas nos EUA

. Peruvian Presidency/Handout via REUTERS

Peru, um milagre económico à espera de ser descoberto

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Top Advertiser GMG tem mais de 20% da receita no digital