Livros Infantis

Um livro sobre amigos e uma cidade dá a Violeta Lópiz o prémio Ilustrarte 2016

ilustração de Violeta Lópiz
ilustração de Violeta Lópiz

O prémio da Bienal Internacional de Ilustração para a Infância foi atribuído pelo trabalho visual do livro "Amigos do peito"

As ilustrações de uma história sobre amizade e infância, desenhadas com canetas de feltro e inspiradas em Lisboa, valeram à artista espanhola Violeta Lópiz o Prémio Ilustrarte 2016 e estarão expostas, na próxima semana, no Museu da Electricidade.

O prémio da Ilustrarte – Bienal Internacional de Ilustração para a Infância foi atribuído a Violeta Lópiz pelo trabalho visual do livro “Amigos do peito”, com texto do autor brasileiro Claudio Tebas, publicado pela editora Bruaá em 2014.

“Amigos do peito” é o primeiro livro ilustrado de Violeta Lópiz publicado em Portugal

ilustração de Violeta Lópiz

ilustração de Violeta Lópiz

A partir de Berlim, onde vive há quase dez anos, Violeta Lópiz contou à agência Lusa que foi o editor da Bruaá que a convidou para ilustrar o texto poético de Claudio Tebas e que grande parte do trabalho visual foi feito numa residência artística em Lisboa.

“Pensava que iria fazer facilmente o livro, porque é um poema muito simples, mas enganei-me, foi muito mais interessante”, contou.

“Amigos do peito”, que lhe valeu o primeiro prémio de carreira, acompanha um menino num percurso pelas ruas de um bairro até chegar a um destino final, onde descobrirá a importância de ter amigos. Violeta Lópiz desenhou e deu vida a vários espaços urbanos, casas, praças, ruas e jardins.

ilustração de Violeta Lópiz

ilustração de Violeta Lópiz

“Em cada livro que faço, o mais difícil é encontrar algo que me interesse muito na história, encontrar o que dizer e como dizer, contar mais do que está no texto. Tem de se pensar no que se quer contar”, afirmou a ilustradora.

Nestas ilustrações, Violeta Lópiz quis transmitir sensações sobre espaços e sobre a infância, “o estado mais puro que o ser humano pode ter”. “Somos mais bonitos, temos medos, felicidade, entusiasmo”.

Pensava que iria fazer facilmente o livro, porque é um poema muito simples, mas enganei-me, foi muito mais interessante”, contou.

Violeta Lópiz recordou ainda que Lisboa foi inspiradora para a concretização do livro, no qual desenhou casas pela primeira vez com mais abundância. “Há outros estímulos, outra luz, outra língua” e houve também a música de José Afonso como banda sonora durante o processo.

Nos esboços que já disponibilizou na Internet, a autora faz referência a edifícios e materiais, como azulejos, que remetem para a cidade portuguesa, e escreveu, nas margens de um desenho, que “as ilustrações são mapas para alguma coisa, linhas que desenham algo que escapa à compreensão”.

“Amigos do peito” é o primeiro livro ilustrado de Violeta Lópiz publicado em Portugal, de uma bibliografia que conta cerca de uma dezena de obras, todas com textos de outros autores.

Com vários projetos em mãos, um dos quais com o ilustrador e autor italiano Valerio Vidali – que venceu o Prémio Ilustrarte em 2012 -, Violeta Lópiz disse ter “muitas ideias na cabeça” para livros em que assine o texto e a ilustração.

O prémio da Ilustrarte tem a alegria semelhante à de uma criança que recebe um doce. “É muito bom, porque passamos a vida fechados em casa a desenhar, sem saber muito bem se [os leitores] vão gostar ou não”, disse.

Nascida em Ibiza, em 1980, também colaborou com a imprensa, nomeadamente com o diário El Mundo e o semanário Expresso.

As ilustrações de “Amigos do peito” estão integradas na bienal Ilustrarte, que é inaugurada no dia 21, no Museu da Electricidade, em Lisboa. A bienal apresentará ainda trabalhos de outros 50 ilustradores.

Entre os ilustradores selecionados estão os portugueses Catarina Sobral, Joana Estrela, Teresa Lima e Daniel Moreira.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Biedronka assegura 68% das vendas; Pingo Doce 24%

Jerónimo Martins vai impugnar coima de 24 milhões na Polónia

Parque Eólico

EDP Renováveis vende sete parques eólicos à Finerge em Espanha

Luís Máximo dos Santos é presidente do Fundo de Resolução.

Fundo de Resolução diz que comprador da GNB tinha a proposta “mais atrativa”

Um livro sobre amigos e uma cidade dá a Violeta Lópiz o prémio Ilustrarte 2016