Uma portuguesa no top 100 da Amazon

ng3104824

Copywriter na agência publicitária Havas, Filipa Fonseca Silva aproveita as horas vagas para se dedicar a outra escrita: a dos livros. “Escrever “Os Trinta – Nada é como sonhámos” foi uma necessidade. A chegada dos 30 anos era um tema recorrente nas conversas com amigos, incluindo estrangeiros, o que me fez perceber que era transversal. De repente, apercebemo-nos de que somos adultos e nada correu como planeámos”, conta ao Dinheiro Vivo. Assim nasceu a primeira história, que gira em torno de três personagens, todas com pedaços roubados à própria autora e aos seus amigos.

Agora com 34 anos, Filipa Fonseca Silva é a primeira portuguesa a entrar para o top 100 da Amazon. A versão inglesa do seu primeiro livro, “Thirty Something – Nothing”s how we dreamed it would be”, chegou terça-feira ao número 97 da lista dos mais vendidos na categoria Women”s Fiction da Amazon, ao lado de autores como Danielle Steel e E. L. James. Ao mesmo tempo, chegou ao 630.o lugar no ranking geral de vendas, que inclui todas as categorias existentes daquele que é o maior vendedor de livros do mundo, com mais de 1 milhão de títulos disponíveis.

Leia também: O mercado é uma questão de língua

“Não esperava isto. Este é um trabalho muito difícil, e chegar aos mais
vendidos na Amazon, que todos os dias conta com pessoas que publicam
novos livros, é ainda mais difícil, mas é o reconhecimento do meu
trabalho”, diz Filipa.

“Os Trinta” foi publicado em Portugal em 2011 pela Oficina do Livro. No ano de lançamento, os resultados de venda “foram positivos, especialmente para uma autora desconhecida”. Mas, depois do primeiro ano, o livro caiu no esquecimento. Por isso Filipa Fonseca Silva decidiu traduzi-lo para inglês e lançá-lo na Amazon, onde “o mercado é muito mais maduro em termos de e-book” – e, além disso, tem muito menos custos. “O único investimento é na promoção”, um trabalho constante da autora. “Para vender, o livro é preciso aparecer. É preciso que haja sempre esta visibilidade, um contacto diário com os bloggers. No fundo, aquilo que também tem de acontecer nas vendas tradicionais, mas com menos custos”.

O segundo livro de Filipa Fonseca Silva, “O Estranho Ano de Vanessa M.”, também já foi lançado na Amazon, em junho deste ano. “Também está a correr bem. Aliás, as críticas têm sido até melhores do que as do primeiro livro”, mas é preciso dar tempo ao tempo. “O mercado de e-books funciona precisamente ao contrário do mercado tradicional. Enquanto no tradicional os três primeiros meses são aqueles em que se atingem mais vendas, os e-books vendem muito pouco neste período. É preciso tempo para ganhar visibilidade e boas críticas”, explica a autora.

Enquanto espera por um grande aumento de vendas no Natal, Filipa Fonseca Silva já tem planos para criar mais buzz em volta do seu segundo romance: oferecer a versão digital de “O Estranho Ano de Vanessa M.” a todos os portugueses que fizerem a subscrição do seu blogue até ao próximo dia 15. “É uma forma de dar a conhecer o meu trabalho.” E está a resultar: em 24 horas, centenas de pessoas subscreveram o blog que já conta com mais de 5 mil seguidores no Facebook.

Para o início do próximo ano, está já marcada a publicação do próximo livro, desta vez de crónicas sobre a sua experiência como mãe – Filipa é casada e tem o segundo filho a caminho. E um novo romance? “Não deve estar pronto tão cedo. Entre ser mãe, copywriter e escritora, as ideias ainda estão numa fase muito embrionária.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A Chanceler alemã, Angela Merkel.  Fotografia: EPA / CARSTEN KOALL

Merkel ganha com pior resultado de sempre, AfD é terceira força política

Lamego foi a autarquia que mais agravou o endividamento. Fotografia:
Maria Jo‹ão Gala / Global Imagens

Passivo das câmaras baixou, mas há 30 que se endividaram mais

Gasóleo deve subir, na próxima semana, enquanto a gasolina deve baixar. Meio cêntimo apenas em ambos os casos

Impostos nos combustíveis valem 7% da receita do Estado

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Uma portuguesa no top 100 da Amazon