“Valumania”. A Violetta que vale muitos milhões

Violetta é interpretada por Martina Stoessel
Violetta é interpretada por Martina Stoessel

Quando ouvir uma criança perto de si cantar "Te creo", num espanholês de boneco animado, saiba que esse é o sinal de dinheiro a entrar na caixa da Disney. E agora que o concerto ainda vem longe (no MEO Arena, dias 24 e 25 de janeiro de 2015), mas os bilhetes já foram postos à venda e esgotaram, mais uma razão.

A carregar player...

A grande responsável
é Violetta, personagem da série com o mesmo nome, encarnada pela
atriz argentina Martina Stoessel, 17 anos, e que está a enlouquecer
os miúdos dos 6 aos 14 anos, sobretudo raparigas. Veem todos
episódios na TV, cantam, dançam e, enquanto sonham com a heroína ou
com o seu namorado, Tomas (Pablo Espinosa), compram todo o género
de merchandising. É a chamada “Valumania”.

Leia também:

Que febre é esta das pulseiras de elásticos?

Resultado: Só no último trimestre do
ano a venda de artigos ligados às personagens Disney, onde se inclui também a Violetta, cresceu 37%,
totalizando 274 milhões de dólares (201,1 milhões de euros),
anuncia o grupo norte-americano, não especificando quanto vale a
nova moda que sucedeu a Hannah Montana (Miley Cyrus).Veja a página de Facebook do Disney Channel.

Violetta é uma jovem doce que herdou o
talento da mãe – uma famosa artista musical que morreu num acidente
de carro, quando ela tinha 5 anos. Para fugir à tragédia, o pai,
Germán, um homem bem-sucedido, mas tão severo quanto
superprotector, leva a filha para Madrid, Espanha. Passados vários
anos, regressa com Violetta a Buenos Aires, Argentina, onde a jovem
faz muitos amigos. Mas o mais importante, reencontra a sua vocação:
a música. Matricula-se no Studio 21, uma prestigiada escola de
artes, onde encontra Tomás e León, dois jovens muito diferentes,
mas com a paixão por Violetta em comum.

Estes são ingredientes que põem os
miúdos, primeiro na Argentina, e depois pelo mundo fora agarrados ao
canal Disney.

Entre outubro e dezembro 2013 mais de
38 milhões de espectadores viram a série. Criada pela Disney
América Latina numa parceria com a Europa, Médio Oriente e África,
Violetta é líder em 10 mercados como Portugal, França, Espanha,
Dinamarca, Suécia, Noruega, África do Sul, Polónia, Hungria e
Roménia.

Em Portugal, estreou-se a 16 de
setembro 2013, com um sucesso crescente. A estreia da 2.ª parte da
1.ª temporada, dia 4 de abril, conseguiu 19,8% de share junto das
crianças dos 4-14 anos – 26,9% são raparigas na mesma faixa etária
– à frente de todos os canais. Nesse mesmo mês, mais de 1,1 milhões
de indivíduos contactaram com a série, dos quais 420 mil foram
crianças dos 4-14 anos (46% do universo) – 226 mil raparigas (54% do
universo).

O balanço é pois bastante positivo.
“Além do feedback relativamente à série, os resultados de todos
os conteúdos relacionados com a Violetta nas várias linhas de
negócio, falam por si”, assume Patrícia Reis, diretora de
marketing da Disney Portugal. Ou seja: desde bandas sonoras, livros,
revistas, o diário, a caderneta, passando pelos acessórios de moda
e maquilhagem, têxtil ou artigos de papelaria Violetta estão sempre
nos tops dos mais vendidos.

Sem precisar de usar cabeleira loira ou
lamber martelos, Violetta soma e segue. Esta semana entrou
diretamente para a liderança do top nacional de discos vendidos
(mais de 4 mil), com o álbum “A Música é o Meu Mundo”, batendo Ana
Moura com o seu “Desfado”. Para tal, contribuiu a estreia do filme
Violetta: Concerto em Milão, dia 8 de maio, que apesar de estar
apenas em nove salas, foi o segundo mais visto em Portugal no fim de
semana seguinte.

Estes são resultados que a Disney
Portugal já esperava desde que lançou o primeiro CD em novembro de
2013. Com um preço a situar-se nos 12 euros, tem sido uma presença
constante no top nacional, sendo disco de platina, o equivalente à
venda de mais de 15 mil cópias.

Quem não compra vai ao YouTube ver
vídeos de partes da série ou das músicas de Violetta, tendo, em
Espanha e Itália, gerado mais visualizações do que artistas como a
Lady Gaga ou Katy Perry.

No Twitter, a heroína da Disney tem já
um milhão de seguidores, número que cresce todos os dias.

Mas Violetta está também presente em
livros, revistas (diário e caderneta), acessórios de moda e
maquilhagem, roupa ou artigos de papelaria. Produtos vendidos sob
licenciamento da Disney a empresas de brinquedos, editoras,
fabricantes de têxteis ou alimentação, por exemplo. Um negócio
sob apertado sigilo quando aos lucros.

Mas numa simples visita à
loja Disney no Colombo, em Lisboa, ou qualquer papelaria, é possível
verificar que os artigos rendem milhões à Disney, apesar de não
serem para todos os bolsos. Um caderno A4 com a imagem de Violetta e
do namorado, pode custar 10 euros, um estojo 15 euros, ou uma mochila
40 euros.

Quem também sai a ganhar é a própria
Martina Stoessel, considerada a atriz mais rica do mundo num top 10,
criado pela revista People With Money, que lhe atribui uma fortuna de
75 milhões de dólares (54,8 milhões de euros), calculada em
função dos rendimentos combinados, de abril de 2013 e abril de
2014. Entre as fontes de rendimento da atriz estão os concertos. Só
no início do ano, em 15 dias, Violetta vendeu 250 mil bilhetes,
superando cantores consagrados como Rolling Stones ou artistas do seu
género, como Chiquititas.

“Nunca duvidámos deste sucesso, mas
ainda somos surpreendidos diariamente com a reacção dos fãs,
comentários positivos de professores e pais que elogiam a introdução
do espanhol em muitas casas através da série”, diz Patrícia
Reis.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Theresa May, PM britânica, cumprimenta Mark Rutte, PM holandês. Fotografia: REUTERS/Piroschka van de Wouw

Mais de 250 empresas do Reino Unido contactam Holanda por causa do Brexit

REUTERS/Yves Herman

Comissão Europeia: vistos gold falham na verificação de origem de fundos

4. Peças automóveis

É recorde: Peças para carros valem mais de 11 mil milhões de euros

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
“Valumania”. A Violetta que vale muitos milhões