Política

Versão portuguesa do livro ‘Fire and Fury’ chega em fevereiro

Donald Trump quer manter a guerra comercial com a China até vencer. Fotografia: Reuters/James Lawler Duggan
Donald Trump quer manter a guerra comercial com a China até vencer. Fotografia: Reuters/James Lawler Duggan

Actual Editora, do grupo Almedina, garantiu os direitos para a edição portuguesa do livro de Michael Wolff sobre o primeiro ano do mandato de Trump

Sucesso de vendas nos Estados Unidos, o livro Fire and Fury: Dentro da Casa Branca de Trump, do jornalista Michael Wolff, uma das obras mais comentadas nas últimas semanas, sobre os bastidores do primeiro ano do mandato de Donald Trump, chega às livrarias portuguesas já no próximo mês. A Actual Editora, do grupo Almedina, garantiu os direitos para a edição portuguesa da obra.

“Com acesso a informação privilegiada, Wolff analisa os esquemas internos da polémica presidência de Trump. O fenómeno Trump e o drama, as controvérsias e os escândalos a ele associados têm toldado as suas verdadeiras motivações e objetivos”, refere a Actual Editora em comunicado. Destaca, ainda, que o autor, com recurso a uma prosa “mordaz”, apresenta “as personalidades mais dramáticas, apaixonantes, incomuns e, de muitas maneiras, carismáticas que alguma vez entraram na Casa Branca desde que há memória nos principais meios de comunicação”.

Fire and Fury

Com recurso a entrevistas exclusivas, este é um livro “explosivo” e que “desconstrói” o fenómeno Trump. De entre as muitas revelações, Michael Wolff garante que Donald Trump nunca acreditou que iria ganhar a corrida à Casa Branca e que a sua equipa não acredita que ele seja capaz de desempenhar o cargo.

No livro, o ex-conselheiro de Trump, Steven Bannon, classifica de “um ato de traição” e uma atitude “antipatriótica” as reuniões mantidas entre o filho do presidente, Donald Trump Junior, responsáveis da campanha eleitoral e “um grupo de advogados russos”, na Trump Tower em junho de 2016. Trump reagiu de imediato dizendo que Bannon “não só perdeu o emprego, mas, também, a cabeça”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

O ministro das Finanças, Mário Centeno (C), acompanhado pelos secretários de Estado, da Administração e do Emprego Público, Maria de Fátima Fonseca (E), dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes (2-E), do Orçamento, João Leão (2-D), e do Tesouro, Álvaro Novo (D), fala durante conferência de imprensa sobre a proposta do Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), realizada no Salão Nobre do Ministério das Finanças, em Lisboa, 16 de outubro de 2018. Na proposta de OE2019, o Governo estima um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,2% no próximo ano, uma taxa de desemprego de 6,3% e uma redução da dívida pública para 118,5% do PIB. No documento, o executivo mantém a estimativa de défice orçamental de 0,2% do PIB no próximo ano e de 0,7% do PIB este ano. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Conheça as principais medidas do Orçamento do Estado para 2019

O ministro das Finanças, Mário Centeno (C), acompanhado pelos secretários de Estado, dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes (E), do Orçamento, João Leão (2-D), e o Adjunto e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix (D), fala durante conferência de imprensa sobre a proposta do Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), realizada no Salão Nobre do Ministério das Finanças, em Lisboa, 16 de outubro de 2018. Na proposta de OE2019, o Governo estima um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,2% no próximo ano, uma taxa de desemprego de 6,3% e uma redução da dívida pública para 118,5% do PIB. No documento, o executivo mantém a estimativa de défice orçamental de 0,2% do PIB no próximo ano e de 0,7% do PIB este ano. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Dos partidos aos sindicatos, passando pelo PR, as reações ao OE 2019

Outros conteúdos GMG
Versão portuguesa do livro ‘Fire and Fury’ chega em fevereiro