segurança online

Vítimas de ataques de ‘phishing’ disparam 87% nos últimos doze meses

Piratas já chegaram aos eletrodomésticos

Nos últimos doze meses, o número de utilizadores prejudicados por ataques de ‘phishing’ disparou 87%, segundo os dados de um novo relatório compilado pela especialista em segurança Kaspersky Lab.

Entre junho de 2012 e junho de 2013, as vítimas passaram de 19,9 para 37,3 milhões, diz a empresa, que utilizou o serviço KSN
(Kaspersky Security Network) para estudar o fenómeno. A especialista avisa que o Facebook, Yahoo, Google e
Amazon são os principais alvos dos cibercriminosos, e que o email já não é o principal meio usado para disseminar estes ataques.

Os ataques de ‘phishing’ infetaram mais 102 mil utilizadores no mundo por dia, o dobro do período anterior, e os cibernautas dos Estados Unidos, Alemanha e Vietname foram os mais atingidos. No entanto, mais de metade de todos os ataques identificados procedem de apenas dez países, entre os quais Estados Unidos, Rússia e Reino Unido.

Esta forma de fraude, que significa “password fishing”, funciona sempre da mesma maneira: os criminosos fazem uma cópia falsa de um site popular e levam os utilizadores a visitá-lo. Quando este introduz as suas
credenciais de acesso, os dados passam para as mãos de criminosos, que os usam para roubar dinheiro,
distribuir spam e malware ou vender em bases de dados a
outros criminosos.

Os serviços do
Yahoo, Google, Facebook e Amazon foram os mais atacados e 30% de todos os incidentes registados resultaram de
versões falsas destes sites. Mais de 20% dos
ataques de ‘phishing’ provêm de sites de
banca online ou outro tipo de sites financeiros.

American Express,
PayPal, Xbox Live e Twitter, entre outros, estão no Top 30 dos sites mais
atacados.

Os
restantes 88% dos casos procedem de links através do navegador ou de sistemas de mensagens instantâneas, como o
Skype.

“Estes ataques
são relativamente fáceis de organizar e são muito eficazes, pelo
que atraem um número cada vez maior de cibercriminosos”, afirma Nikita Shvetsov, diretora de investigação
da Kaspersky Lab.

Para a elaboração
do estudo, os especialistas da Kaspersky Lab compararam dados dos
ataques de phishing a mais de 50 milhões de utilizadores da
Kaspersky Security Network, entre Maio de 2012 e Maio de 2013, com os
números do ano anterior.

Veja o relatório
completo “A evolução dos ataques de phishing 2011-2013
(em inglês).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Empresas com quebras de 25% vão poder pedir apoio à retoma

Lisboa,  29/09/2020 - Ursula Von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia.
(Paulo Alexandrino/Global Imagens)

“Temos de ser cuidadosos em relação à dívida, no longo prazo ela terá de descer”

ANTONIO COTRIM/ LUSA

Governo aposta no clima e competências para recuperação – mas sem empréstimos

Vítimas de ataques de ‘phishing’ disparam 87% nos últimos doze meses