Tecnologia

WhatsApp vai partilhar números de telefone com o Facebook

O WhatsApp vai ainda partilhar a informação sobre a frequência de utilização da aplicação do serviço de mensagens instantâneas.

O WhatsApp anunciou hoje que vai partilhar com o Facebook o número de telefone dos seus utilizadores, assim como a informação sobre a frequência de utilização da aplicação do serviço de mensagens instantâneas.

Este serviço de mensagens, que é detido pelo Facebook desde 2014, anunciou a mudança nos termos de uso e política de privacidade, que passa a contemplar a troca de informação entre o WhatsApp e a rede social.

“Como uma empresa subsidiária do Facebook, nos próximos meses iremos começar a partilhar informação que nos permita coordenar melhor e com isso melhorar a experiência entre os serviços. Esta é uma prática típica entre as empresas que são adquiridas por outras”, acrescentou o WhatsApp em comunicado.

Com esta mudança de política, a rede social passa a ter acesso ao número de telefone de cada utilizador para verificar a sua conta de WhatsApp, assim como os dados sobre a frequência de utilização da aplicação, entre eles, a última hora de conexão.

De acordo com a empresa, a partilha desta informação tem vários objetivos: melhorar a eficácia publicitária com anúncios que sejam mais relevantes para os utilizadores do Facebook e sugestões para estabelecer ligações com outras pessoas conhecidas e também para combater os abusos e mensagens não desejadas no WhatsApp.

A aplicação de mensagens instantâneas reconhece que outras empresas subsidiárias do Facebook, como o Instagram, podem usar a informação do WhatsApp para “atividades diversas”, como sugerir contas a seguir.

Os utilizadores do serviço de mensagens podem recusar que os seus dados sejam utilizados para “melhorar experiências relativas a anúncios e produtos”, mas não que o Facebook conheça o número de telefone e os seus padrões de atividade no WhatsApp.

“De momento, não temos planos de partilhar com o Facebook outra informação opcional”, como o estado, nome e foto do perfil do utilizador, e “muito menos guardamos as mensagens assim que são entregues”, salienta a empresa, que insiste que, apesar da partilha de dados, vai continuar a funcionar “como um serviço independente”.

Adiantou também que as mensagens encriptadas continuam a ser privadas e que a empresa não irá vender ou partilhar o número de telefone dos utilizadores com os anunciantes.

Os clientes do WhatsApp vão receber a partir de hoje uma notificação com os novos termos de privacidade, momento a partir do qual dispõem de 30 dias para aceitar caso pretendam continuar a utilizar a aplicação.

Esta é a primeira mudança de política de privacidade em quatro anos e, segundo o serviço WhatsApp, estas alterações resultam dos seus planos de alternativas de comunicação entre utilizadores e empresas nos próximos meses.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
WhatsApp vai partilhar números de telefone com o Facebook