workshop

Universidade em Xangai desafia jovens a melhorar vida nas cidades

É no grandioso campus da ShanghaiTech University, na China, que os candidatos aceites, durante duas semanas, vão aprender, apresentar ideias inovadoras e desenvolver os seus projetos. FOTO: shanghaitech.edu.cn
É no grandioso campus da ShanghaiTech University, na China, que os candidatos aceites, durante duas semanas, vão aprender, apresentar ideias inovadoras e desenvolver os seus projetos. FOTO: shanghaitech.edu.cn

Inscrições encerram a 31 de maio e há 20 vagas para estudantes de vários países. A seleção será feita pelo mérito curricular e da candidatura

É inovador, aceita jovens talentos dos quatro cantos do mundo e desafia-os a encontrar formas diferentes e melhores de viver nos grandes centros urbanos. A proposta constitui o tema central do workshop InnoLab: Inovação para a Vida Urbana, que vai decorrer entre 17 e 27 de junho na ShanghaiTech University, na cidade de… Xangai, na China. As inscrições estão em curso até 31 de maio e, sendo esta uma iniciativa conjunta daquela universidade e do programa Santander X, para os candidatos aprovados está reservada uma surpresa: à exceção da viagem, todos os custos das duas semanas “chinesas” são suportadas por bolsas do Banco Santander.

“A urbanização a nível mundial dá origem a novas oportunidades e a desafios renovados”, lê-se na página própria do workshop, no site da plataforma Santander X, onde os interessados poderão também fazer as suas inscrições. Por isso, este curso intensivo, condensado em duas semanas, propõe aos jovens académicos que olhem para a vivência do século XXI e, de uma penada, enfrentem “os desafios empresariais” e busquem “a melhoria da vida urbana por meio de inovações”.

Os jovens portugueses também estão convidados. Para isto, basta serem estudantes universitários, enviarem o seu currículo, descreverem com mestria a sua ideia de negócio e dominarem a língua inglesa. E tudo isso terão apresentar aquando da sua candidatura na plataforma Santander X. Mas convém que se apressem: as candidaturas terminam daqui a três semanas, no dia 31 de maio. E como só há 20 vagas, concorrem jovens de todo o mundo e não estão previstas quaisquer quotas divididas por país, impõe-se uma candidatura cuidada.

“A seleção funciona pelo mérito dos estudantes”, garantiu Marcos Soares Ribeiro, diretor-coordenador do Santander Universidades. “O que posso dizer é que quantos mais concorrerem e com currículos e motivações bastante fortes têm seguramente uma maior probabilidade de serem selecionados”, aconselhou.

Marcos Soares Ribeiro, responsável do Santander Universidades, afirma que o seu banco está "particularmente posicionado para desenvolver competências de empreendedorismo universitário". FOTO: Álvaro Isidoro / Global Imagens

Marcos Soares Ribeiro, responsável do Santander Universidades, afirma que o seu banco está “particularmente posicionado para desenvolver competências de empreendedorismo universitário”. FOTO: Álvaro Isidoro / Global Imagens

Descrevendo um pouco melhor o que em Xangai se vai passar, o responsável explicou que, “durante as duas semanas que vai durar, o workshop permite percorrer diversos temas, em aulas e exercícios, para entender e desenvolver inovação e projetos empreendedores de forma estruturada”. Ou seja, os estudantes “aprendem a detetar oportunidades e a desenvolvê-las”, disse, “e isto é uma competência-chave para o futuro”, garantiu.

De facto, o workshop inclui aulas e exercícios interativos, visitas de campo a empresas e negócios locais e o desenvolvimento de um projeto, em grupo, que competirá com os dos restantes concorrentes num torneio final, onde terá de ser feito um pitch e apresentação imbatíveis para se sair vencedor. O programa envolverá professores de escolas de negócios, gestores inovadores, empreendedores de sucesso e especialistas em gestão de inovação, garante a sua página oficial.

“Estes workshop permite aos estudantes universitários potenciar e desenvolver as suas competências de inovação e de empreendedorismo”, afirmou Marcos Soares Ribeiro, diretor-coordenador do Santander Universidades. “E é bastante importante, nesta altura em que o país se encontra, potenciar estas competências”, acrescentou, concluindo: “Aliás, acreditamos que as competências de empreendedorismo e inovação são absolutamente chave para o mercado de trabalho dos dias de hoje”.

Os 20 selecionados participam no workshop Santander X-ShanghaiTech com bolsas pagas pelo Banco Santander, que abrangem o curso em si, a estada, as refeições, os materiais necessários e as visitas de campo. Só as viagens ficam a cargo dos estudantes, mas este é um investimento no futuro. “Esta oportunidade na ShanghaiTech é muito interessante, o programa é bastante sólido e a grande valia deste programa também é ter alunos internacionais”, garantiu o responsável do Santander Universidades.

Plataforma cumpre a sua missão

O presente workshop é mais uma iniciativa da Plataforma Santander X, que foi lançada o ano passado e que, assim, continua a cumprir a missão para que foi criada. Isto é, converter-se “no maior ecossistema de empreendedorismo universitário do mundo”.

“Nós funcionamos em rede com todos os outros países do Grupo Santander e procuramos aproveitar as melhores oportunidades que geramos em todas as partes do globo em que estamos envolvidos”, disse Marcos Soares Ribeiro.

“A plataforma tem permitido lançar um conjunto de iniciativas ligadas ao empreendedorismo universitário, mostrá-las e proporcionar o acesso aos estudantes portugueses”, afiançou o responsável do Santander Universidades. Recordando outros programas que foram surgindo na plataforma e o facto de o Santander ter ajudado a trazer para Portugal a Academia Europeia de Inovação (EIA, na sigla inglesa), Soares Ribeiro explicou: a plataforma Santander X “permite oferecer e divulgar oportunidades aos estudantes que nós queremos que eles agarrem”.

Àqueles que têm agora a hipótese de se candidatar ao workshop InnoLab: Inovação para a Vida Urbana, Marcos Soares Ribeiro dirigiu um recado: “Devem aproveitar bem as oportunidades que surgem e que estamos a oferecer aos estudantes na área do empreendedorismo. Como dizia, é uma competência-chave para o mercado de trabalho nos dias de hoje”. E neste caso, em concreto, “o contributo do Santander, quer de Portugal, quer dos outros países, é encontrarmos os melhores talentos de cada país e levarmo-los para esse programa”, rematou.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
REUTERS/James Lawler Duggan

Trump ameaça impor taxa de 20% aos carros europeus

Fotografia: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

China State Construction quer mais negócios além da Lusoponte

Fotografia: D.R.

OPEP aumenta produção. Mas preço do petróleo sobe

Outros conteúdos GMG
Universidade em Xangai desafia jovens a melhorar vida nas cidades