Inovação

Maior empreendedor do IST vai passar a receber prémio

No evento "O Futuro é Agora" houve entregas de prémios, divulgação de bolsas e programas de financiamento e partilha de experiências únicas de quem já neles participou. FOTO: Débora Rodrigues / Técnico Lisboa
No evento "O Futuro é Agora" houve entregas de prémios, divulgação de bolsas e programas de financiamento e partilha de experiências únicas de quem já neles participou. FOTO: Débora Rodrigues / Técnico Lisboa

E.Award@Técnico foi anunciado durante “O Futuro é Agora”, o dia em que o Técnico divulga o que consegue fazer com a parceria Santander Universidades

Um troféu para premiar o melhor empreendedor de entre todos os empreendedores que o Instituto Superior Técnico (IST) tem. Assim se pode definir resumidamente o novo E.Award@Técnico que foi esta quinta-feira, 8 de outubro, apresentado durante o evento “O Futuro é Agora”, ocorrido nas instalações desta escola superior. Realizado para marcar o Dia do Santander Universidades no IST, ao longo de toda a manhã foram divulgadas as diversas iniciativas criadas com o apoio deste banco. Para o presidente do IST, Arlindo Oliveira, esta é uma parceria de tão grande importância que o responsável arrisca a chamar ao Santander “gold partner” do instituto.

“O E.Award é um prémio que é dado ao melhor projeto que for desenvolvido numa das carreiras de empreendedorismo do IST”, explicou Arlindo Oliveira referindo-se à mais recente novidade da parceria IST-Santander. Criado este ano, o novo troféu aceita candidaturas de todos os estudantes inscritos no primeiro semestre do ano letivo 2018-2019 em unidades curriculares de empreendedorismo, independentemente do ciclo de estudos.

O E.Award foi apenas uma das iniciativas apresentadas no Dia do Santander no Técnico que, entre a entrega de prémios, a divulgação de bolsas e programas de financiamento e a partilha das experiências únicas de quem já neles participou, revelou perante a comunidade universitária do IST e de quem mais quis assistir as várias iniciativas criadas com financiamento do Programa Santander Universidades. Intitulado “O Futuro é Agora”, o evento comemorativo deste dia teve este ano a sua a 2.ª edição consecutiva.

Arlindo Oliveira, presidente do IST, abriu e encerrou o evento "O Futuro é Agora", sublinhando a importância do investimento na formação. FOTO: Débora Rodrigues / Técnico Lisboa

Arlindo Oliveira, presidente do IST, abriu e encerrou o evento “O Futuro é Agora”, sublinhando a importância do investimento na formação. FOTO: Débora Rodrigues / Técnico Lisboa

“Isto é uma iniciativa que o Técnico faz em parceria com um dos nossos parceiros principais, o Banco Santander”, disse Arlindo Oliveira, referindo-se ao “Futuro é Agora”. O evento “tem, basicamente, o objetivo de criar condições para tanto os alunos como os jovens professores desenvolverem a sua atividade da melhor maneira possível”, avançou o responsável, referindo-se a toda a divulgação feita durante este dia.

Com efeito, durante o evento, após as intervenções na sessão de abertura do presidente do IST e de Inês Oom de Sousa, administradora do Banco Santander, seguiram-se os testemunhos de docentes e estudantes sobre os diversos programas em que tomaram parte. Programas como o Start up funds@Técnico, criado para jovens professores que obtêm “um valor monetário com que podem iniciar o seu trabalho e a sua investigação, que, assim, facilita o desenvolvimento da sua carreira”, contou Arlindo Oliveira. Ou o Babson Build Program, que leva estudantes do IST ao Babson College de Massachusetts, nos Estados Unidos, ou ainda o financiamento de alunos do instituto para participarem na European Innovation Academy, a maior aceleradora de inovação da Europa que este ano se realizou em Portugal pela segunda vez.

Seguiu-se a entrega dos prémios TecInnov Santander 2018, conquistados por projetos que representam o último grito da investigação tecnológica do IST, e dos CA2ECTécnico 2018, que premeiam as atividades extracurriculares dos núcleos de estudantes do instituto – sejam elas teatro, programas culturais de rádio ou tunas – que contribuam para a valorização da comunidade académica.

“Esta é a essência do ‘Futuro é Agora’, porque permite aos jovens prepararem o seu futuro”, rematou Arlindo Oliveira, reiterando a importância da associação do IST ao Santander, que define como estratégica. Desde logo, “pela sua dimensão: é um parceria de longo prazo, com um valor significativo e onde o Santander, para além de dar apoio a algumas atividades (como, por exemplo, a emissão de cartões), se compromete a suportar de forma significativa a atividade do IST”, explicou. O Técnico tem outros parceiros, disse o Arlindo Oliveira, mas “este é de facto, se assim quiser, o nosso gold partner, portanto, é o nosso parceiro principal e o mais significativo da nossa rede de parceiros”.

O presidente do IST diz mesmo que quer estender a fórmula conseguida a outras instituições. “Queremos usar esta parceria com o Santander também como um modelo para outras parcerias que queremos estabelecer”.

Inês Oom de Sousa, administradora do Santander, durante a sua intervenção n' "O Futuro é Agora". FOTO: Débora Rodrigues / Técnico Lisboa

Inês Oom de Sousa, administradora do Santander, durante a sua intervenção n’ “O Futuro é Agora”. FOTO: Débora Rodrigues / Técnico Lisboa

A importância da associação Santander-IST também foi sublinhada por Inês Oom de Sousa, administradora do banco, que no seu discurso de abertura do “Futuro é Agora” agradeceu ao presidente do Técnico “esta parceria para o futuro entre as duas instituições”. O Santander “procura estar sempre na linha da frente no apoio que dá aos estudantes e docentes universitários”, disse. Mais: “Acreditamos que o conhecimento é a melhor ferramenta para enfrentar o futuro e a parceria com o Instituto Superior Técnico é uma prova de que vale a pena apostar no ensino superior, no fomento do empreendedorismo, da mobilidade e da empregabilidade”.

A encerrar o evento, o presidente do IST despediu-se com duas mensagens principais, como sublinhou ao Dinheiro Vivo. “A primeira é que não é só ter novas ideias de negócios: alguém tem de implementar, executar, realizar os produtos e serviços que depois servem de base aos negócios”, frisou. “A segunda é que este é um investimento extremamente rentável, porque com valores da ordem dos poucos milhares de euros, conseguem-se produtos que têm um valor enorme para as empresas e para a sociedade, tanto na componente da formação dos jovens, como na componente de criar produtos e serviços”, frisou. “Há poucos investimentos tão rentáveis como investirmos na formação e na dinamização dos jovens que têm estas capacidades para desenvolver tecnologia”, concluiu o presidente do Instituo Superior Técnico.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(REUTERS/Willy Kurniawan)

98% dos carros feitos na Europa têm peças made in Portugal

Fotografia: Sara Matos/ Global Imagens.

Devolução das multas da ViaCTT chega hoje às contas

Bankinter

Bankinter atinge lucro recorde de 526 milhões em 2018

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Maior empreendedor do IST vai passar a receber prémio