Inovação

“O Programa Explorer pode ser trampolim para uma ideia de negócio”

Os Explorers de Coimbra de 2018 pousando no Explorer Day desta Universidade, já com a ecobebida Toal, projeto vencedor da "melhor ideia de negócio" em grande destaque. FOTO: DR / Explorer Space U.Coimbra
Os Explorers de Coimbra de 2018 pousando no Explorer Day desta Universidade, já com a ecobebida Toal, projeto vencedor da "melhor ideia de negócio" em grande destaque. FOTO: DR / Explorer Space U.Coimbra

Inovador progama de empreendedorismo inicia a sua 2ª edição na Universidade de Coimbra e prazo de inscrições termina a 12 de dezembro.

Ainda mal terminou, esta sexta-feira, o Programa Explorer 2018 – uma iniciativa desenvolvida pelo Santander Universidades que dá apoio, formação e assessoria aos estudantes que queiram lançar o seu negócio – e já as inscrições para a próxima edição estão em curso. Até 12 de dezembro, na plataforma Santander X, qualquer jovem que estude em Portugal, tenha entre 18 e 31 anos e uma ideia de negócio inovadora pode tentar concretizar o seu sonho empresarial – precisa é ter disponibilidade para frequentar a formação na Universidade de Coimbra, que foi pioneira em trazer o Programa Explorer a Portugal. Da edição de 2018, já vários projetos se distinguiram e arrancaram, nomeadamente aquele que se sagrou “a melhor ideia de negócio” do Explorer Space da Universidade de Coimbra (ver abaixo), mas nenhum deles conquistou o pódio da final finalíssima que decorreu no dia 23 de novembro em Madrid. As vantagens obtidas e a animação dos participantes, no entanto, não esmoreceu e Miguel Gonçalves, coordenador do Explorer Space em Coimbra não tem dúvidas: “O Programa Explorer pode ser trampolim para uma ideia de negócio”.

Ao todo, foram 53 os finalistas, de outras tantas universidades da Península Ibérica e Argentina, que esta sexta-feira aguardaram para saber quem subia ao pódio dos melhores projetos, de entre os melhores, do Programa Explorer 2018. No final, o grande vencedor foi o Rated Power, um projeto de estudantes da Universidade Carlos III, de Madrid, que permite desenhar online e otimizar centrais de energia solar de grande escala.

O Programa Explorer, iniciativa impulsionada pelo Santander Universidades, com a coordenação do Centro Internacional Santander Empreendimento (CISE), só chegou a Portugal este ano, mas já existe há 9 anos em Espanha e na Argentina. Muitos há que o definem como uma autêntica fábrica de concretização de sonhos.

“Parece-me uma boa definição”, concorda Miguel Gonçalves, que coordena o espaço onde o programa decorre na Universidade Coimbra, e explica porquê. “O Programa Explorer é um programa de aceleração de ideias de negócio para jovens entre os 18 e os 31 anos. Inclui formação presencial, formação online, aconselhamento personalizado dado por mentores experientes, a possibilidade de ganhar dinheiro – 83 mil euros – em prémios, viagens a Silicon Valley e também a integração na maior plataforma universitária do mundo, que é o Santander X, onde os empreendedores podem candidatar-se a outros programas de apoio ao empreendedorismo ou relacionarem-se com outros empreendedores do mundo inteiro”, diz.

Os Explorers de 2018 numa das sessões de formação no Explorer Space de Coimbra. FOTO: DR / Explorer Space U.Coimbra

Os Explorers de 2018 numa das sessões de formação no Explorer Space de Coimbra. FOTO: DR / Explorer Space U.Coimbra

Quem nele participou, pela primeira vez em Portugal, não hesita em elogiar as vantagens obtidas. É o caso de Rita Martins Santos, cofundadora do projeto Toal Ecobebidas, distinguido como a melhor ideia de negócio saída do Explorer Space de Coimbra. O Programa Explorer “abre uma série de portas, conseguimos travar uma série de contactos e é muito interessante. Está a ser uma experiência muito enriquecedora e nunca imaginei, quando me inscrevi, mas valeu muito a pena”, disse.

Agora que está oficialmente finda a 1ª edição, já arrancou o Programa Explorer 2019, com as inscrições abertas e em curso até 12 de dezembro. “O processo de inscrição no Programa Explorer é muito simples: basta ir ao portal SantanderX.com, preencher o formulário para participar no Programa Explorer de Portugal, fornecendo a informação sobre a ideia de negócio que querem explorar no programa, de forma muito clara e sucinta, e sobre a equipa”, explica Miguel Gonçalves.

E logo aqui começam as novidades desta 2ª edição do Programa Explorer: este ano, em vez de apenas dois, os interessados podem incluir cinco membros na sua equipa, informou o responsável.

A segunda grande novidade é a integração mais profunda do programa na plataforma digital Santander X, passando a estar nela integrado. Nas palavras de Miguel Gonçalves, trata-se da “maior plataforma de empreendedores universitários do mundo”. Nela, os estudantes e empreendedores “podem encontrar potenciais sócios, aceder a uma rede de 200 mentores de todo o mundo e, muito facilmente, nela colocar os seus projetos e dar-lhes visibilidade internacional, podendo, depois, de forma também muito fácil aceder a outros programas de apoio ao empreendedorismo e inovação que estão disponíveis na plataforma”, explicou o coordenador. E, como frisa Miguel Gonçalves, “estamos inclusivamente a falar de programas de apoio ao empreendedorismo que podem ser numa fase posterior à da pré-aceleração, onde se inclui o Programa Explorer”.

Depois há uma outra novidade que resulta sobretudo da experiência e aprendizagem de Miguel Gonçalves após um ano a reger o Explorer Space de Coimbra, e que o responsável transforma num conselho: “No final da 1ª edição-piloto, em Portugal, do Programa Explorer reforçou-se ou consolidou-se a sensação de que é mais importante a equipa e os seus membros do que propriamente a ideia”. A ideia tem de ser inovadora – quanto a isso não devem restar dúvidas –, mas se não for exatamente a certa para o momento ou se a sua concretização for difícil, pode sempre adaptar-se ou mesmo ser vidada do avesso. “As ideias evoluem”, afirma Miguel Gonçalves avançando o exemplo de equipas que, nesta edição-piloto, “entraram com uma ideia de negócio e que, no final dos 5 meses, saíram com um projeto estruturado mas completamente diferente do que tinham entrado”.

Agora, “se a equipa for realmente boa, se trabalhar arduamente, através das metodologias que são utilizadas durante a formação e com a ajuda dos mentores, pode encontrar verdadeiras oportunidades de negócio”, afirma o responsável.

Miguel Gonçalves, coordenador do Explorer Space de Coimbra, garante que o Programa Explorer é uma oportunidade única para quem quer lançar um negócio. FOTO: DR / Explorer Space U.Coimbra

Miguel Gonçalves, coordenador do Explorer Space de Coimbra, garante que o Programa Explorer é uma oportunidade única para quem quer lançar um negócio. FOTO: DR / Explorer Space U.Coimbra

É por isso que outro dos conselhos que Miguel Gonçalves tem para dar a quem está a pensar tornara-se um “Explorer” em 2019 é que “a dedicação ao programa é o fator-chave”. Segundo o coordenador, foi possível observar na 1ª edição que “os estudantes que não faltavam às formações, que apareciam mais cedo para trabalhar nos seus projetos, que se envolviam mais com os mentores, foram claramente aqueles que tiveram mais sucesso, que tiveram acesso aos prémios, que conseguiram tirar o melhor partido do Programa Explorer”.

Miguel Gonçalves avisa que o pior caminho é ver este programa “apenas como algo de engraçado para ficar no currículo”. Os seus participantes devem, antes, ver que “o Programa Explorer pode realmente ser um trampolim tanto para a ideia de negócio, como para a própria expectativa profissional”. Isto porque, daquilo que observou, o responsável diz não ter dúvidas de que, pelas ferramentas, atitudes e estímulos ao empreendedorismo que tem incutido, o Programa Explorer não apenas acelera as ideias de negócio, “como também altera a forma de estar e de pensar dos estudantes, que aplicam esses ensinamentos a outras áreas da sua vida, tornando-a mais pragmática e mais empreendedora”.

Em jeito de conclusão, Miguel Gonçalves aconselha a quem ainda possa estar hesitante quanto a inscrever-se, “a pensar seriamente nisso”. “Porque, se têm uma ideia de negócio e procuram apoio para a desenvolver, o Programa Explorer é uma excelente oportunidade a não perder: é totalmente gratuito, tem formadores e tem mentores com experiência, que são um luxo, tem prémios monetários, tem viagens a Silicon Valley, tem o acesso à maior plataforma de empreendedores universitários do mundo e, portanto, tem aqui todo um conjunto de valências e de oferta que são únicas e que são excelentes e que devem ser aproveitadas por quem realmente quer desenvolver uma ideia de negócio ou empreendedora”, explicou o coordenado do Explorer Space de Coimbra.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Estações do Metro do Porto não têm cancelas, o que dificulta o controlo da validação dos passes. ( Igor Martins / Global Imagens )

Metro do Porto e Carris reforçam fiscalização em ano de novos passes

Fotografia: Diana Quintela/Global Imagens

Bancos que ajudaram Concorrência mais vulneráveis a pedidos de indemnização

Foto: REUTERS/Leah Millis

“Zuck está sentado em montanha de dados pessoais”. E segue-se “mudança radical”

Outros conteúdos GMG
“O Programa Explorer pode ser trampolim para uma ideia de negócio”