comunicação social

Prémios de Jornalismo Económico 2019 aceitam candidaturas até 12 de maio

O trabalho dos jornalistas voltarão a ser distinguidos este ano pelos PJE atribuídos pela Nova-Santander. Foto: Leonel de Castro
O trabalho dos jornalistas voltarão a ser distinguidos este ano pelos PJE atribuídos pela Nova-Santander. Foto: Leonel de Castro

Serão três os prémios atribuídos e os valores pecuniários envolvidos ascendem, no total, aos 20 mil euros. Em 2018, saiu vencedora jornalista da Visão

Há 12 anos que a dupla Universidade Nova-Banco Santander anda a premiar o bom jornalismo feito na área de economia e negócios. Este ano, a 13ª edição dos Prémios de Jornalismo Económico não é exceção: as inscrições já abriram e os candidatos só têm até 12 de maio para submeter os seus trabalhos.

O processo de candidatura terá de ser feito online, em formulário próprio, na página da internet especificamente criada para estes galardões, em www.pje.pt. Os candidatos só poderão concorrer com “artigos ou reportagens que tenham sido publicados em órgãos de comunicação social escrita ou eletrónica, entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2018”, especifica o regulamento.

Tal como nas suas edições anteriores, o Prémio de Jornalismo Económico 2019 (PJE 2019) divide-se em três categorias: Gestão de Empresas e Negócios, para trabalhos relacionados com as múltiplas áreas da Gestão; Mercados Financeiros, para artigos que abordem os diferentes mercados financeiros e valores mobiliários; e ainda Sustentabilidade e Inovação Empresarial, que destaca trabalhos que incidam na área da gestão sustentável, inovação digital ou responsabilidade social e corporativa.

A “taluda” ou “Grande Prémio” dos PJE, atribuído àquele que for considerado simultaneamente o melhor trabalho jornalístico de entre todos os concorrentes e o melhor da sua categoria, dá direito, além do troféu, a um valor pecuniário de 10.000 euros. Os outros dois prémios, cada um para o melhor trabalho da respetiva área, terão associado um valor de 5.000 euros.

Cesaltina Pinto, da Visão, no momento em que recebeu o PJE 2018, junto de Vieira Monteiro (à dta.), presidente do Santander, e de João Sáàgua, reitor da Nova. FOTO: DR / Santander Universidades

Cesaltina Pinto, da Visão, no momento em que recebeu o PJE 2018, junto de Vieira Monteiro (à dta.), presidente do Santander, e de João Sáàgua, reitor da Nova. FOTO: DR / Santander Universidades

Em 2018, a grande vencedora foi a jornalista Cesaltina Pinto, da revista Visão, com o trabalho “A Herança Indivisível de Belmiro”, que versava sobre o legado de Belmiro de Azevedo e o processo de transição do império deste empresário para os filhos.

Este ano, o júri que irá avaliar os trabalhos candidatos incluirá Francisco Caramelo, diretor de uma das entidades organizadoras, a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade Nova, António Granado, também da Nova FCSH, Conceição Zagalo, Graça Franco (Rádio Renascença), Helena Garrido (RTP), José Albuquerque Tavares (NOVA SBE – School of Business and Economics) e Paulo Pinho (NOVA SBE). Para a composição do júri foram selecionadas, informa o comunicado dos PJE, “personalidades de reconhecido mérito ligadas às Ciências Sociais, Jornalismo, Finanças, Sustentabilidade e Gestão”.

 

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, e o ministro das Finanças, Mário Centeno. Foto: TIAGO PETINGA/LUSA

Bruxelas pede a Centeno 1,4 mil milhões em novas medidas para acertar OE2020

Faria de Oliveira, presidente da APB.

Banca portuguesa entre a que mais se desfez de ativos tóxicos na Europa

5G NOS

NOS anuncia Matosinhos como “primeira cidade” em Portugal com cobertura 5G

Outros conteúdos GMG
Prémios de Jornalismo Económico 2019 aceitam candidaturas até 12 de maio