solidariedade social

Prémios de Voluntariado Universitário 2019 duplicam para 20 mil euros

A campanha dos PVU 2018 foi especialmente dinâmica e jovem. Este ano, houve workshops de inovação social para partilhar casos de sucesso e ensinar a fazer projetos sociais desde o início. FOTO: D.R. / Santander Universidades
A campanha dos PVU 2018 foi especialmente dinâmica e jovem. Este ano, houve workshops de inovação social para partilhar casos de sucesso e ensinar a fazer projetos sociais desde o início. FOTO: D.R. / Santander Universidades

Os estudantes com ideias ou projetos solidários já em curso têm três semanas – até 14 de novembro – para se candidatarem e podem ganhar até 4000 euros

Os Prémios de Voluntariado Universitário (PVU) – iniciativa do Santander Universidades que vai já na sua 4.ª edição – estão de volta e, este ano, vão distribuir pelos 10 finalistas o dobro do valor monetário das edições anteriores: 20 mil euros. Os estudantes que tenham ideias solidárias ou projetos deste cariz já em curso poderão candidatar-se online, na página dedicada aos PVU, até 14 de novembro. Cristina Louro, presidente do júri dos PVU, refere que o grau de inovação social dos projetos candidatos será este ano um dos pontos-chave a ter em conta na avaliação feita.

“Não é só na área económica que nós podemos inovar, na área social também tem de haver respostas inovadoras. Assim se entendeu que se iria valorizar muito a inovação social quando selecionássemos os premiados”, avançou a presidente do júri.

Foi precisamente por isso que a estratégia de promoção dos PVU 2019 assentou em “workshops de inovação social” que, ao longo do ano, foram dando a conhecer casos de sucesso de empreendedorismo social e ensinaram a desenvolver um projeto social desde o início. “Esta foi, talvez uma das vertentes mais importantes do prémio deste ano”, afirmou Cristina Louro.

Mas as novidades não se ficaram por aqui. Com sempre, desde que foram lançados há 4 anos pelo programa Santander Universidades juntamente com as instituições do ensino superior suas parceiras, haverá 10 finalistas e três vencedores apenas. Só que este ano, quem subir ao pódio PVU não leva 3.000, mas 4.000 euros para aplicar no seu projeto; e, pela primeira vez, os finalistas eliminados não saem de mãos a abanar: têm direito a um prémio de 1.000 euros, além de, tal como os vencedores, um ano inteiro de mentoria por diretores e especialistas do Banco Santander.

Cristina LouroNestes PVU, gostaria de ver projetos com ideias que pudessem ser multipli-cadas e repercutidas a nível nacional”, Cristina Louro, presidente do júri dos Prémios de Voluntariado Universitário.

“Entendemos que os outros sete tinham feito um esforço muito grande e chegavam a finalistas, mas depois não recebiam nada em retribuição e, para que eles pudessem continuar os seus projetos, os 1.000 euros iriam dar imenso jeito.”

Depois, há ainda o já habitual PVU Comunicação, para o vídeo finalista com maior número de votos online, no valor de 1.000 euros e, desde o ano passado, a IES +Solidária, uma menção honrosa entregue à universidade com maior número de projetos candidatos – em 2018 a Universidade do Porto foi a campeã, com 20 candidaturas apresentadas.

Cristina Louro, que desde o início, 2016, presidiu ao júri dos PVU, diz notar já uma evolução muito grande na qualidade dos projetos apresentados e na dedicação dos estudantes. “Nota-se que os jovens estão mais sensibilizados para esta área, querem fazer mais projetos sociais e que se dedicam muito ao combate à pobreza e à exclusão social”, afirmou.

Volvidos 4 anos, o que gostaria então de ver a presidente do júri nos PVU 2019? “Primeiro, o que eu gostaria mesmo de ver era projetos de inovação”, disse Cristina Louro. A responsável explicou logo de seguida que, com esta a aspiração manifestada, não quis dizer que os projetos do ano passado não tenham tido vertentes inovadoras – e refere como exemplo o projeto Amal Soap, um dos vencedores dos PVU 2018 (ver abaixo). “Tem é de haver – e, aliás, isso está estudado e os Prémio Nobel [de Economia] deste ano também vieram dizer isso – intervenções pontuais, pequenas, mas com projetos com propostas inovadoras e não sempre as propostas tradicionais de resposta”, acrescentou.

Portanto, disse Cristina Louro, em jeito de conclusão, “nestes PVU, gostaria de ver projetos que trouxessem ideias que pudessem ser multiplicadas e repercutidas a nível nacional. Acho que vamos conseguir”.

A divulgação dos vencedores e entrega dos PVU 2018 ocorreu na sede do Banco Santander em Lisboa, no dia 5 de dezembro, mas só três dos 10 finalistas levaram prémios para casa. Este ano, todos sairão premiados. FOTO: Leonardo Negrão / Global Imagens

A divulgação dos vencedores e entrega dos PVU 2018 ocorreu na sede do Banco Santander, em Lisboa, no dia 5 de dezembro, mas só três dos 10 finalistas levaram prémios para casa. Este ano, todos sairão premiados. FOTO: Leonardo Negrão / Global Imagens

Tal como afirma o Santander Universidades em comunicado, os PVU foram criados “com o objetivo de incentivar cada vez mais a prática de uma cidadania ativa através do voluntariado e recompensar o esforço das instituições do ensino superior e os jovens mais envolvidos nestas atividades”.

Para Cristina Louro – que é socióloga e dedicou toda a sua carreira à área do voluntariado e assistência social em instituições nacionais e europeias, tendo sido vice-presidente da Cruz Vermelha Portuguesa (como voluntária) até 2017 – não restam dúvidas da relevância do envolvimento dos mais novos nestas áreas.

“É extremamente importante que isto comece na escola e que depois siga com os universitários, claro, porque vão ser eles os futuros profissionais, os futuros chefes, os futuros líderes, até das próprias empresas”, sublinhou Cristina Louro. É deste modo, considera a responsável que se conseguirá ter empresas e empresários de mente aberta e, desde o início, voltados para a responsabilidade social e para ajudarem a encontrar respostas inovadoras para os problemas da sociedade.

Inês Oom de Sousa, administradora do Santander Portugal e membro do júri dos PVU, com António Sousa Pereira, reitor da Universidade do Porto, no momento em que esta instituição de ensino arrecadava o prémio IES + Solidária dos PVU 2018. FOTO: Leonardo Negrão / Global Imagens

Inês Oom de Sousa, administradora do Santander Portugal e membro do júri dos PVU, com António Sousa Pereira, reitor da Universidade do Porto, no momento em que esta instituição de ensino arrecadava o prémio IES + Solidária dos PVU 2018. FOTO: Leonardo Negrão / Global Imagens

À edição dos PVU do ano passado candidataram-se 57 projetos, um número recorde de participação, sendo que mais de metade dos projetos de voluntariado participantes tiveram como principal objetivo o combate à pobreza e à exclusão social.

O júri, a que preside Cristina Louro, é composto pelo presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP), António Fontainhas Fernandes, pelo presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos, (CCISP), Pedro Dominguinhos, pelo presidente da Associação Portuguesa de Ensino Superior Privado (APESP), João Redondo, pela administradora do Santander Portugal, Inês Oom de Sousa e pelo responsável pela área de Sustentabilidade do Banco, Rui Miguel Santos.

Apresentadas as candidaturas, os seis elementos do júri terão depois cerca de 15 dias para estudarem todas as candidaturas – e, a julgar pelas edições anteriores, serão várias dezenas – e decidirem os vencedores, que serão anunciados numa cerimónia a realizar no início de dezembro.

Premiados PVU 2018

Amal Soap – Universidade Nova de Lisboa. Objetivos: Desenvolvimento de um negócio social de produção e comercialização de sabonetes, inspirados na indústria tradicional de Aleppo, para integrar e capacitar mulheres sírias, refugiadas em Portugal.

O Meu Lugar no Mundo – Faculdades de Economia da Universidade do Porto e da Católica do Porto. Objetivo: Apoiar o estudo de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade económico-social da freguesia do Bonfim, Porto, contribuindo para o sucesso escolar, motivação e inclusão dos mesmos.

8 Hours Overtime for a Good Cause – Instituto Politécnico de Portalegre. Objetivo: Replica de um projeto internacional em Portalegre que, através do voluntariado de competências de estudantes de design, cria e produz peças de comunicação para entidades da economia social locais.

(Veja aqui os vídeos de cada projetos vencedor).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Foto: Paulo Spranger (Global/Imagens)

Fisco deteta erro em 10.000 declarações de IRS e exige devolução de 3,5 milhões

Foto: Paulo Spranger (Global/Imagens)

Fisco deteta erro em 10.000 declarações de IRS e exige devolução de 3,5 milhões

João Cadete de Matos, presidente da Anacom

Fotografia: Vítor Gordo/D.R.

Anacom “considera essencial” redução de preços no acesso à Internet

Outros conteúdos GMG
Prémios de Voluntariado Universitário 2019 duplicam para 20 mil euros