Solidariedade Universitária

Revelados os dez finalistas dos Prémios de Voluntariado 2019

Estudantes da Universidade do Porto numa das iniciativas solidárias, neste caso viradas para o apoio à terceira idade. FOTO: D.R. / UPorto
Estudantes da Universidade do Porto numa das iniciativas solidárias, neste caso viradas para o apoio à terceira idade. FOTO: D.R. / UPorto

Prémios solidários do Santander Universidades distribuem este ano 20 mil euros. U.Porto tem esperança de manter o título de IES +Solidária

Já são conhecidos os dez finalistas da 4.ª Edição do Prémio de Voluntariado Universitário (PVU) Santander Universidades. Os três grandes vencedores só serão anunciados numa cerimónia que terá lugar no próximo dia 5 de dezembro. Além dos prémios – cujo valor pecuniário global ascende aos 20 mil euros –, será também atribuída a menção honrosa IES +Solidária à instituição com maior número de candidaturas. A atual campeã em título é a Universidade do Porto (UP). José Castro Lopes, pró-reitor da U.Porto com, entre outras, a pasta de Apoio Social aos Estudantes, acredita ser possível repetir este ano a conquista do título.

Em 2018, foram 19 os projetos de solidariedade social ou voluntariado candidatos em nome da U.Porto ao PVU, prémio lançado em 2016 pelo Santander Universidades para distinguir os projetos solidários dos estudantes do ensino superior. O feito fez da U.Porto a IES (Instituição do Ensino Superior) +Solidária de entre todas as concorrentes.

“É sempre muito motivador ver reconhecido, sobretudo por uma entidade externa, o trabalho e o empenho da Universidade do Porto na formação cívica e sociocultural dos seus estudantes que fazemos de forma a contribuir para o desenvolvimento de uma consciência social”, disse José Castro Lopes

Sem conhecer a concorrência – essa só será revelada na próxima quinta-feira –, o professor Castro Lopes diz não poder garantir que a U.Porto vá arrebatar de novo o título da Instituição de Ensino Superior (IES) +Solidária. “Se não houver concorrentes mais fortes do que U.Porto, pode acontecer realmente nós voltarmos a ganhar o título, o que nos encherá de regozijo, tal como aconteceu no ano passado”, comentou.

Para o responsável, o PVU do Santander Universidades constitui um estímulo para se continuar a promover o voluntariado, o que acaba por se refletir num maior número de grupos e associações com estes fins dentro da universidade, logo em cada vez mais ações estudantes envolvidos. E os dados recolhidos pelo Santander Universidades parecem confirmar esta convicção. Nos seus quatro anos de existência, os PVU já mobilizaram 3.968 voluntários em causas das mais diversas áreas sociais, com impacto em mais de 99.181 beneficiários.

José Castro Lopes, pró-reitor da U.Porto, responsável pelas pastas da Saúde e Bem-estar, Apoio social aos estudantes e Estudantes com necessidades educativas especiais. FOTO: D.R. / U.Porto

José Castro Lopes, pró-reitor da U.Porto, responsável pelas pastas da Saúde e Bem-estar, Apoio social aos estudantes e Estudantes com necessidades educativas especiais. FOTO: D.R. / U.Porto

Enquanto IES + Solidária, a U.Porto é uma das grandes contribuidoras para esta estatística. As 19 candidaturas de projetos da U.Porto em 2018 representaram mais do dobro das apresentadas pelas outras universidades. Como explica, o pró-reitor, esta superatividade solidária da UP?

“O que posso dizer é que, enquanto parte integral da nossa universidade, a formação cívica e sociocultural dos nossos estudantes é muito valorizada”, disse. Segundo contou José Castro Lopes, as ações de voluntariado em que os estudantes participam, “são reconhecidas no seu suplemento ao diploma”. Isto, desde que cumpram determinadas regras: uma certa duração e avaliação e obterem a acreditação da Comissão de Voluntariado da UP.

Depois, na prespetiva do pró-reitor, há ainda outra explicação para o crescente empenho solidário dos alunos. “Os estudantes estão cada vez mais disponíveis e motivados para participarem em iniciativas solidárias. Isto, não só por causa da sua vocação altruísta, mas também muitas vezes a pensar já no seu futuro profissional, porque muitas destas iniciativas permitem a aquisição de competências que se incluem naquilo que hoje em dia se designa por soft skills (ou competências transversais), que são cada vez mais valorizadas pelos empregadores”, afirmou.

Com 100 candidaturas provenientes de 16 distritos do país, os PVU 2019 bateram todos os recordes de participação – quer em termos de quantidade, quer de dispersão geográfica.

(…) Muitas destas iniciativas permitem a aquisição de competências que se incluem naquilo que hoje em dia se designa por soft skills, que são cada vez mais valorizadas pelos empregadores”, prof. Castro Lopes, pró-reitor da U.Porto

Este ano, o Santander Universidades decidiu reforçar os prémios monetários. Cada um dos três projetos vencedores receberá 4000 euros – ou seja, mais mil euros do que nas edições anteriores para cada um dos três vencedores –, enquanto os restantes sete finalistas terão, pela primeira vez, direito a um prémio pecuniário de mil euros cada.

Também o Prémio PVU Comunicação, para o vídeo finalista com o maior número de votos online, vem acompanhado por um valor pecuniário de mil euros. Feitas as contas, os prémios atingem este ano um total de 20 mil euros, o dobro do atribuída nas três edições anteriores dos Prémios de Voluntariado Universitário.

A votação para o PVU Comunicação está em curso no website dos PVU e o público ainda tem até ao dia 4 de dezembro para fazer a sua opção. Isto significa que o eleito, tal como os três vencedores dos PVU 2019 só serão revelados na próxima quinta-feira, 5 de dezembro. Entretanto, veja abaixo a lista dos 10 projetos finalistas.

DESTES 10, SAIRÃO OS VENCEDORES

  1. Projeto: Escolas de Superpoderes
    Universidade do Porto

Objetivo: Franchising social para a criação de “Escolas de Superpoderes” em que as intervenções enquadradas no movimento são desenhadas em cada comunidade e de acordo com as necessidades identificadas. Mentores voluntários que dão aulas semanais de diferentes talentos (culinária, futebol, kickboxing, remo, surf, expressão musical, teatro, meditação, fotografia, etc.) crianças e jovens em risco de escolas, bairros sociais, prisões juvenis ou centros de acolhimento. Posteriormente estes jovens devem identificar problemas nas suas comunidades e criarem ações para os minimizarem.

  1. Projeto: GBZ – Desenvolvimento e Integração Social
    Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Católica de Braga

Objetivo: Fomentar a coesão social entre crianças e jovens de meios socioeconómicos e culturais diferentes, através da realização de atividades ao longo do ano com grupos jovens de escalão social diferentes, em que o foco de trabalho é a diferença social para que esta se torne riqueza e não motivo de exclusão. A formação pessoal/social das crianças é assegurada por um grupo de 100 voluntários entre os 18 e os 25 anos que promovem, ao longo de todo o ano, atividades pedagógicas, criativas e lúdicas (visitas às famílias, explicações, campos de férias, fins de semana formativos e criativos, etc.).

  1. Projeto: Já T’Explico
    Universidade do Porto

Objetivo: Combater o insucesso escolar de crianças em situações socioeconómicas difíceis. Disponibilização de apoio escolar e explicações a alunos do 2º e 3º ciclo em situação de desvantagem socioeconómica. A intervenção inclui ainda a organização de atividades lúdicas e de promoção da cidadania.

  1. Projeto: ShareToy
    Institute of Electrical and Electronics Engineers – Universidade de Aveiro

Objetivo: Recolha de brinquedos danificados que são reparados por alunos das áreas de eletrónica, telecomunicações e informática e posteriormente doados a instituições com crianças. Esta iniciativa tem 3 fases: recolha de brinquedos danificados, embora sejam aceites todo o tipo de brinquedos; reparação, onde estão planeadas 4 sessões de reparação no DETI (Dep. de Eletrónica, Telecomunicações e Informática da Universidade de Aveiro); fase de entrega às instituições, tornando todas as crianças carenciadas mais felizes, através de um presente na época de Natal.

  1. Projeto: U.DREAM
    Faculdade de Economia da Universidade do Porto

Objetivo: Projeto social de educação não-formal que tem como missão educar para o impacto social. Utilizando a metodologia de impacto U.DREAM – Eu, Eu com os Outros e Eu na Comunidade. Um programa de 2 anos, dividido por 4 semestres, que se foca no desenvolvimento de competências pessoais e na envolvência na comunidade. Colocando simultaneamente em prática diversas experiências sociais que impactam diferentes públicos alvo e desenvolvendo no final um projeto de impacto social próprio.

  1. Projeto: Programa de Voluntariado Intergeracional – QUALidade
    Instituto Politécnico do Porto

Objetivo: Campo de férias para idosos em risco de abandono em que são dinamizadas atividades através de voluntariado jovem. Organização de um campo de voluntariado jovem em que são dinamizadas atividades que têm como beneficiários idosos identificados pela autarquia como em risco de abandono ou isolamento. Este campo responsabiliza cada jovem voluntário o papel de cuidador de uma pessoa sénior, com a missão de acompanhar, apoiar, partilhar experiências culturais e de lazer. Os seniores restabelecem assim laços emocionais e usufruem de uma espécie de “férias cá dentro”.

  1. Projeto: Olival Ecológico e Solidário
    Instituto Politécnico de Portalegre

Objetivo: Apoio social através de valorização de produção agrícola existente na IES. Valorização do Olival de 8 hectares existente no politécnico de Portalegre, através da organização de atividades de apanha de azeitona no olival do campus, em conjunto com os beneficiários de diferentes instituições sociais locais fomentando a sua integração e conhecimento sobre o processo. Posterior transformação em azeite para doar às respetivas instituições, que abrangem como beneficiários pessoas com deficiência, famílias, crianças e jovens e idosos.

  1. Projeto: Gerações Unidas
    Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Objetivo: Combater o isolamento de idosos através de visitas domiciliárias. Este projeto promove visitas regulares (semanais) de voluntários à casa de idosos de Vila Real identificados e que já usufruem do apoio domiciliário de uma IPSS. Estas visitas têm como objetivo combater a solidão através da partilha de vivências entre estas duas gerações. Os voluntários são capacitados com ações de formação por profissionais qualificados. Pretendem ainda sensibilizar os alunos da UTAD para esta problemática, através da realização de workshops.

  1. Projeto: Acordar Coimbra
    Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra
  2. Objetivo: Organização de uma competição de ideias e/ou projetos para melhorar a cidade de Coimbra, nas áreas sociais, ambientais e de planeamento urbano. Em 2-3 dias intensivos de formação, desenvolvimento e planeamento, as ideias ganham vida, são desenvolvidas e apresentadas segundo um painel de jurados, sendo atribuído um prémio monetário às melhores de cada categoria. Planeiam acrescentar um dia de palestras abertas, de modo a educar os locais no que concerne ao terceiro setor.
    1. Projeto: Comunidade para uma Vida Saudável
      Instituto Politécnico de Setúbal

    Objetivo: Combate ao isolamento social de idosos em bairros carenciados através da prática de atividade física. Incentivo e oferta gratuita de práticas desportivas em bairros carenciados em Setúbal para reforçar a coesão social entre moradores (Ex. caminhadas e corridas ao final do dia, passeios de canoagem, etc). A prática de atividades em conjunto permite estabelecer relações interpessoais entre os moradores promovendo a coesão social. Esta ação pretende ainda avaliar a condição física geral e funcional dos moradores idosos, sensibilizando-os para a importância da atividade física e proporcionar momentos sociais de convívio.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mário Centeno, ministro das Finanças e presidente do Eurogrupo. Fotografia: EPA/STEPHANIE LECOCQ

Peso da despesa com funcionários volta a cair para mínimos em 2020

26/10/2019 ( Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens )

Conselho de Ministros aprovou Orçamento do Estado

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República portuguesa. Foto: REUTERS/Benoit Tessier

OE2020: PR avisa que é preciso “ir mais longe” em matérias como a saúde

Outros conteúdos GMG
Revelados os dez finalistas dos Prémios de Voluntariado 2019